Tijolaço: enquanto “Eco-Temer” fala na ONU, o Brasil arde nas queimadas

O editor do Tijolaço, Fernando Brito, destaca que a despeito de Michel Temer ter cantado vantagem na ONU com a "redução do desmatamento", os primeiros 21 dias de setembro já fizeram deste mês o pior em número de queimadas desde que o monitoramento começou a ser feito pelo Inpe; "Foram 95 mil queimadas em até ontem, apenas em setembro, o que projeta um total de mais de 130 mil só este mês", diz; "Já que não é possível, sem dinheiro, fazer-se uma política de prevenção e combate a fogo nas matas, sugere-se, ao menos, que o senhor Temer se prive de abrir a boca para falar no assunto" ressalta

O editor do Tijolaço, Fernando Brito, destaca que a despeito de Michel Temer ter cantado vantagem na ONU com a "redução do desmatamento", os primeiros 21 dias de setembro já fizeram deste mês o pior em número de queimadas desde que o monitoramento começou a ser feito pelo Inpe; "Foram 95 mil queimadas em até ontem, apenas em setembro, o que projeta um total de mais de 130 mil só este mês", diz; "Já que não é possível, sem dinheiro, fazer-se uma política de prevenção e combate a fogo nas matas, sugere-se, ao menos, que o senhor Temer se prive de abrir a boca para falar no assunto" ressalta
O editor do Tijolaço, Fernando Brito, destaca que a despeito de Michel Temer ter cantado vantagem na ONU com a "redução do desmatamento", os primeiros 21 dias de setembro já fizeram deste mês o pior em número de queimadas desde que o monitoramento começou a ser feito pelo Inpe; "Foram 95 mil queimadas em até ontem, apenas em setembro, o que projeta um total de mais de 130 mil só este mês", diz; "Já que não é possível, sem dinheiro, fazer-se uma política de prevenção e combate a fogo nas matas, sugere-se, ao menos, que o senhor Temer se prive de abrir a boca para falar no assunto" ressalta (Foto: Paulo Emílio)

Por Fernando Brito, no Tijolaço - Faz poucos dias, Michel Temer cantou vantagem na ONU com a "redução do desmatamento", usando dados um tanto quanto capciosos.

É claro que não é só culpa dele – em parte é, porque o Ibama não tem dinheiro para suas operações de fiscalização – porque a estiagem é braba este ano.

Mas parece que a fala oportunista dele trouxe mais azar ao nosso azarado país.

Os primeiros 21 dias de setembro já fizeram deste mês o pior em número de queimadas desde que o monitoramento por satélite dos focos de incêndio começo a ser feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Inpe.

Foram 95 mil queimadas em até ontem, apenas em setembro, o que projeta um total de mais de 130 mil só este mês.

2017 vai ser, com folga, o ano que mais serão registradas queimadas no Brasil, provavelmente, porque acumula até agora um total de 185 mil focos de incêndio registrados e, em poucos dias, vai superar a maior marca já registrada até agora: 194 mil incêndios, em 2010.

Já que não é possível, sem dinheiro, fazer-se uma política de prevenção e combate a fogo nas matas, sugere-se, ao menos, que o senhor Temer se prive de abrir a boca para falar no assunto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247