Toffoli diz que inquérito do STF descobriu ameaças gravíssimas a ministros

O presidente do STF, Dias Toffoli, disse que o inquérito aberto pelo tribunal para apurar ataques ao Supremo descobriu "ameaças gravíssimas" a ministros e cidadãos. O inquérito foi aberto com o objetivo de apurar "notícias fraudulentas" e ofensas e ameaças que "atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares"

Ministro Dias Toffoli
Ministro Dias Toffoli (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse que o inquérito aberto pelo tribunal para apurar ataques ao STF descobriu "ameaças gravíssimas" a ministros e cidadãos. O inquérito foi aberto no dia 14 de março deste ano com o objetivo de apurar "notícias fraudulentas" e ofensas e ameaças que "atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares".

"Nós conseguimos, através desse inquérito, descobrir ameaças extremamente gravíssimas, que não vou entrar em detalhe, na deep web. Ameaças de uma gravidade excepcional... a ministros e a cidadãos também", afirmou o ministro durante entrevista à GloboNews.

"Esse inquérito tem sido extremamente importante para atuar nessas investigações, para também mostrar que, desde a abertura do inquérito, os ataques que eram agressivos, ameaçadores, que extrapolavam liberdade de expressão e iam para a criminalidade, esses ataques diminuíram excepcionalmente", disse. 

De acordo com o presidente do STF, "no relatório que o ministro Alexandre de Moraes tem, diminuíram 80 %". "Até porque muitos desses ataques eram feitos via robôs, seja algo artificial, algo industriado", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247