Toffoli, que evitou queda de Bolsonaro, admite: “Estado não está gerando empregos”

Após ensaiar uma aproximação com Jair Bolsonaro, o presidente do STF, Dias Toffoli, criticou a política econômica do governo e foi taxativo: "O Estado não está gerando empregos". "Precisamos colocar essa questão de geração de empregos na mesa e decidir políticas públicas no Congresso para que isso possa se resolver”, declarou

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após ensaiar uma aproximação com Jair Bolsonaro, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, criticou nesta sexta-feira (30) a política econômica do governo e foi taxativo: "O Estado não está gerando empregos". O País amarga uma taxa de desemprego de 11,8% no trimestre finalizado em julho deste ano. São 12,6 milhões de desempregados, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

"Precisamos colocar essa questão de geração de empregos na mesa e decidir políticas públicas no Congresso para que isso possa se resolver”, declarou o ministro ao lado do deputado federal Paulinho da Força (Solidariedade-SP) durante evento da Força Sindical.

De acordo com informação de Veja, publicada em agosto, Toffoli confirmou que o Brasil esteve à beira de uma crise institucional entre abril e maio e disse que atuou para tentar acalmar a situação. Um grupo de parlamentares tirou da gaveta um projeto que previa a implantação do parlamentarismo. Empresários do setor industrial discutiam a possibilidade de um impeachment de Bolsonaro.

O presidente do STF disse que "muito tem se falado em reforma da Previdência, de pacto federativo, mas não está se falando como deveria em desenvolvimento de empregos".


Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247