TSE avalia adiar eleições para dezembro, mas descarta prorrogar mandatos atuais

A saúde pública, a saúde da população é o bem maior a ser preservado. Por isso, no momento certo será preciso fazer uma avaliação criteriosa acerca desse tema do adiamento das eleições. Mas nós estamos em abril. O debate ainda é precoce. Não há certeza de como a contaminação vai evoluir”, disse o ministro Luís Roberto Barroso

Ministro Roberto Barroso durante sessão da 1ª turma do STF.
Ministro Roberto Barroso durante sessão da 1ª turma do STF. (Foto: Nelson Jr./SCO/STF 11/02/2020)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) avaliam a possibilidade de adiar as eleições municipais, marcadas para outubro, para dezembro, devido à pandemia do novo coronavírus. Os ministros, porém, descartam a possibilidade de que os mandatos atuais sejam prorrogados. Esta possibilidade somente será ventilada caso as eleições sejam transferidas para 2021 ou se o pleito for unificado em 2022. A decisão deverá ser tomada até o início de junho. 

“A saúde pública, a saúde da população é o bem maior a ser preservado. Por isso, no momento certo será preciso fazer uma avaliação criteriosa acerca desse tema do adiamento das eleições. Mas nós estamos em abril. O debate ainda é precoce. Não há certeza de como a contaminação vai evoluir”, disse o ministro Luís Roberto Barroso ao jornal O Globo

“Na hipótese de adiamento, ele deve ser pelo período mínimo necessário para que as eleições possam se realizar com segurança para a população. Estamos falando de semanas, talvez”, completou. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email