TSE se opõe a proposta de usar urna eletrônica para legalizar partido de Bolsonaro

O Tribunal Superior Eleitoral é contra o uso de urnas eletrônicas para coletar assinaturas com a finalidade de legalizar o partido de extrema-direita de Jair Bolsonaro. A proposta dos advogados bolsonaristas desagrada a corte eleitoral

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ideia dos advogados de Bolsonaro de pedir ao Tribunal Superior Eleitoral que ceda urnas eletrônicas a cartórios eleitorais para que apoiadores digitem o número da Aliança (38) como forma de angariar o apoio necessário para fundar o partido foi mal recebida no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  

De acordo com a coluna Painel da Folha de S.Paulo, a ministra Rosa Weber, presidente do TSE, não seria simpática ao pleito. 

Para atender o pleito dos bolsonaristas seria necessário passar por cima da autoridade de Weber.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247