Último evento social de Marcelo Odebrecht foi homenagem a FHC

Executivo preso nesta sexta-feira 19 esteve em um jantar organizado por João Doria Jr. em sua casa, em homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no dia 28 de abril; participaram do evento outros empresários, como Jorge Gerdau e Guilherme Leal, da Natura; segundo a coluna de Mônica Bergamo, Marcelo Odebrecht sentou-se ao lado do tucano à mesa

Executivo preso nesta sexta-feira 19 esteve em um jantar organizado por João Doria Jr. em sua casa, em homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no dia 28 de abril; participaram do evento outros empresários, como Jorge Gerdau e Guilherme Leal, da Natura; segundo a coluna de Mônica Bergamo, Marcelo Odebrecht sentou-se ao lado do tucano à mesa
Executivo preso nesta sexta-feira 19 esteve em um jantar organizado por João Doria Jr. em sua casa, em homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no dia 28 de abril; participaram do evento outros empresários, como Jorge Gerdau e Guilherme Leal, da Natura; segundo a coluna de Mônica Bergamo, Marcelo Odebrecht sentou-se ao lado do tucano à mesa (Foto: Gisele Federicce)

247 - O último evento social do qual participou Marcel Odebrecht, da Odebrecht, preso nesta sexta-feira pela 14ª fase da Operação Lava Jato, foi um jantar em homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O evento foi promovido por João Doria Jr., presidente do Lide, em sua própria casa no dia 28 de abril. Além de Marcelo Odebrecht, compareceram outros grandes empresários, como Jorge Gerdau e Guilherme Leal, da Natura. O executivo da Odebrecht sentou-se ao lado do tucano à mesa.

Confira abaixo na coluna de Mônica Bergamo:

Homenagem a FHC reúne Gerdau, Odebrecht e Alckmin

POLÍTICA À MESA
O empresário João Doria Jr. promoveu em sua casa um jantar em homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, na terça (28). Estiveram no local o empresário Jorge Gerdau, o advogado Luiz Flávio Borges D'Urso e o diretor-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht. Também participaram do evento o empresário Guilherme Leal, da Natura, o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, o presidente da Embraer Defesa e Segurança, Jackson Schneider, e a namorada de FHC, Patrícia Kundrát. Além deles, foram à reunião o presidente do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial e colunista da Folha, Pedro Passos, e Viviane Senna, fundadora do Instituto Ayrton Senna.

SALVA-VIDAS
O empresário João Doria Jr. fez tantos elogios a Fernando Henrique Cardoso, a quem homenageou num jantar, anteontem [ver fotos acima], que o ex-presidente disse depois que quase caiu na piscina da casa. "Eu cambaleei, quase morro afogado."

LADO A LADO
Ao lado de FHC no jantar sentaram-se o empreiteiro Marcelo Odebrecht, Rubens Ometto, da Cosan, e Jorge Gerdau, do grupo Gerdau, além de Doria e o governador Geraldo Alckmin.

LIÇÃO DE CASA
"Vivemos um momento de desesperança no Brasil e isso não pode ocorrer. Não podemos conviver com falta de esperança e tristeza", afirmou FHC em discurso que surpreendeu a plateia ao poupar o governo Dilma Rousseff de críticas mais ácidas. "Tecnicamente sabemos o que é preciso fazer, e está sendo feito", chegou a dizer.

VOO CEGO
"Eu continuo confiante. Com todas as dificuldades, nós já fizemos muitas coisas no Brasil. Temos que fazer esse balanço. Quando assumi o Ministério da Fazenda [em 1993], o caos era geral. Não sabíamos quem devia para quem. Como funcionava a Petrobras? Ninguém sabia", seguiu FHC.

LINHA RETA
Ao finalizar o discurso, ele ressaltou que o mais importante, no tal balanço, é o fato de que hoje "há gente que vai para a rua dizer o que pensa sem medo. Isso não é pouco. Vamos fazer o que for necessário, dentro da democracia". Parte do PSDB tem defendido o impeachment de Dilma. FHC tem se posicionado contra.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247