Último leilão consagra modelo de concessões

Consórcio Invepar venceu a disputa pelo trecho da BR-040 com deságio de 61,13%, e tarifa de pedágio de R$ 3,22; plano do governo para melhorar a infraestrutura logística do país, um dos principais entraves para o crescimento econômico, recebeu elogios até da mídia internacional; após a realização dos leilões do Galeão e de Confins, quando o governo arrecadou mais de R$ 20 bilhões, o jornal The Wall Street Journal, projetou a presidente Dilma Rousseff e seu governo "em alta"

Consórcio Invepar venceu a disputa pelo trecho da BR-040 com deságio de 61,13%, e tarifa de pedágio de R$ 3,22; plano do governo para melhorar a infraestrutura logística do país, um dos principais entraves para o crescimento econômico, recebeu elogios até da mídia internacional; após a realização dos leilões do Galeão e de Confins, quando o governo arrecadou mais de R$ 20 bilhões, o jornal The Wall Street Journal, projetou a presidente Dilma Rousseff e seu governo "em alta"
Consórcio Invepar venceu a disputa pelo trecho da BR-040 com deságio de 61,13%, e tarifa de pedágio de R$ 3,22; plano do governo para melhorar a infraestrutura logística do país, um dos principais entraves para o crescimento econômico, recebeu elogios até da mídia internacional; após a realização dos leilões do Galeão e de Confins, quando o governo arrecadou mais de R$ 20 bilhões, o jornal The Wall Street Journal, projetou a presidente Dilma Rousseff e seu governo "em alta" (Foto: Roberta Namour)

247 – A Invepar arrematou nesta sexta-feira (27) a concessão do trecho da rodovia BR-040, entre o Distrito Federal e Minas Gerais, em leilão com oito grupos participantes.

A empresa vencedora ofereceu uma proposta de tarifa básica de R$ 3,22, que representa um deságio (desconto) de 61,13% em relação ao teto de R$ 8,29 por praça de pedágio ou R$ 9,74 para cada 100 quilômetros. A administração do trecho será de 30 anos com investimentos estimados em cerca de R$ 8 bilhões.

Com o último leilão do ano, a presidente Dilma Rousseff consagra sua vitória contra pessimistas, com um plano para melhorar a infraestrutura logística do país, um dos principais entraves para o crescimento econômico. A iniciativa também inclui a concessão de aeroportos, ferrovias e portos.

Até mídia internacional se rendeu ao sucesso de Dilma, após a realização dos leilões do Galeão e de Confins, quando o governo arrecadou mais de R$ 20 bilhões. Ao contrário das críticas e ironias estampadas nos últimos tempos em veículos como a revista The Economist, que chegou a recomendar a troca do ministro da Fazenda, Guido Mantega, agora um veículo de igual peso, o jornal The Wall Street Journal, vê a presidente Dilma Rousseff e seu governo "em uma alta".

“Com a rede de transporte do país há décadas vista como um grande gargalo para um crescimento econômico mais rápido, o governo tem procurado trazer o setor privado para acelerar os investimentos em portos, aeroportos, rodovias e outras áreas”, registrou o WSJ em sua versão eletrônica.

Nos últimos quatro leilões de rodovias federais, o deságio foi de 52 por cento na BR-163, no trecho de Mato Grosso, e no das BRs-060/153/262, 52,7 por cento na BR-163 no Mato Grosso do Sul, e de 42 por cento na BR-050.

O leilão da BR-040 que liga Brasília (DF) a Juiz de Fora (MG) deveria ter acontecido em janeiro, mas foi adiado a pedido de empresas interessadas. Após reavaliações, o governo publicou o novo edital no fim de novembro, alterando a tarifa teto de pedágio de 3,34 reais para 8,29763 reais para veículos de rodagem simples e de dois eixos.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247