Um dia depois de defender golpe de Estado, Carlos Bolsonaro sai de licença da Câmara do Rio

O vereador Carlos Bolsonaro solicitou, sem explicações, uma licença não remunerada à Câmara Municipal do Rio. Carlos, o "02", apresentou o pedido na última sexta. No domingo, o filho de Jair Bolsonaro defendeu um golpe fascista em suas suas redes sociais, atacando abertamente a democracia. Ao deixar uma instituição do regime democrático, a Câmara dos Vereadores, estará de mãos livres para seus ataques

Carlos Bolsonaro
Carlos Bolsonaro (Foto: CMRJ)

247 - O vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ)solicitou, sem explicações, uma licença não remunerada da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Carlos, o "02", apresentou o pedido na última sexta-feira (6). No domingo, o filho de Jair Bolsonaro defendeu um golpe fsscista em suas suas redes sociais, atacando abertamente a democracia. Ao deixar uma instituição do regime democrático, a Câmara dos Vereadores, estará de mãos livres para seus ataques.

O despacho do presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Jorge Felippe (MDB), foi efetuado nesta segunda-feira.

Neste domingo, Carlos Bolsonaro usou sua conta no Twitter para afirmar que “por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos... e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!". 

O clã Bolsonaro sempre que tem oportunidade defende a ditadura militar como forma de governo.Jair Bolsonaro já defendeu o uso da tortura contra opositores durante o período da ditadura militar e na semana passada atacou o pai da alta comissária da ONU para Direitos Humanos e ex-presidente do Chile, Michelle Bachelet, que foi torturado e morto por partidários do ditador chileno Augusto Pinochet. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247