Vândalos divulgam montagem com informação falsa sobre Marisa Letícia

Jornalista Fernando Brito criticou a divulgação nas redes sociais de um suposto "documento" do “Congresso Nacional” que mostra que Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Lula morta há dias, seria servidora do parlamento e que seu viúvo pretendia receber “proventos e resíduos”; "Enquanto este tipo de perversão não der cadeia, vão continuar se repetindo estas monstruosidades na redes sociais, que se tornaram uma espécie de cocho onde gente doente bem se abeberar do ódio", diz Brito 

Jornalista Fernando Brito criticou a divulgação nas redes sociais de um suposto "documento" do “Congresso Nacional” que mostra que Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Lula morta há dias, seria servidora do parlamento e que seu viúvo pretendia receber “proventos e resíduos”; "Enquanto este tipo de perversão não der cadeia, vão continuar se repetindo estas monstruosidades na redes sociais, que se tornaram uma espécie de cocho onde gente doente bem se abeberar do ódio", diz Brito 
Jornalista Fernando Brito criticou a divulgação nas redes sociais de um suposto "documento" do “Congresso Nacional” que mostra que Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Lula morta há dias, seria servidora do parlamento e que seu viúvo pretendia receber “proventos e resíduos”; "Enquanto este tipo de perversão não der cadeia, vão continuar se repetindo estas monstruosidades na redes sociais, que se tornaram uma espécie de cocho onde gente doente bem se abeberar do ódio", diz Brito  (Foto: Aquiles Lins)

Por Fernando Brito, do Tijolaço - O UOL ainda se deu ao trabalho de investigar o que era, claro, uma montagem óbvia, feita por gente canalha, de um suposto “documento”  do “Congresso Nacional” pelo qual algum grupo de vagabundos pretendia mostrar que Marisa Letícia, mulher de Lula morta há dias, seria servidora do parlamento e que seu viúvo pretendia receber “proventos e resíduos”.

É evidente que tudo é uma farsa perversa  de gente que foi se servir da morte de uma pessoa para espalhar mentiras na rede. Mais, é um crime, um vilipêndio à memória e uma pessoa que não tem contra si, salvo os delírios de Deltan Dallagnol e Sérgio Moro, nada que a desabone.

Enquanto este tipo de perversão não der cadeia, vão continuar se repetindo estas monstruosidades na redes sociais, que se tornaram uma espécie de cocho onde gente doente bem se abeberar do ódio.

Mas a nossa polícia está mais interessada em perseguir pedalinhos barcos de lata, não tem tempo para cuidar da defesa da verdade.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247