Veja quais são as 57 cidades onde há segundo turno e quem está na disputa

Haverá segundo turno em 57 cidades de 21 Estados neste domingo - 18 delas são capitais. Veja a lista de todas com os candidatos e candidatas que estão na disputa

(Foto: Marcelo Camargo/Ag. Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  Neste domingo (29), Prefeituras de 18 capitais estarão em disputa no segundo turno das eleições, além de outros 39 municípios com mais de 200 mil eleitores, onde nenhum dos candidatos obteve a maioria absoluta dos votos válidos para se eleger em primeiro turno.

No total, 38 milhões de eleitoras e eleitores irão às urnas em 57 cidades de 21 Estados.

Confira as capitais onde a disputa será definida em segundo turno: 

Aracaju: Edvaldo Nogueira (PDT) e Danielle Garcia (Cidadania)

Belém: Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Eguchi (Patriota)

Boa Vista: Arthur Henrique (MDB) e Ottaci (Solidariedade)

Cuiabá: Emanuel Pinheiro (MDB) e Abílio Júnior (Pode)

Fortaleza: Sarto Nogueira (PDT) e Capitão Wagner (Pros)

Goiânia: Maguito Vilela (MDB) e Vanderlan Cardoso (PSD)

João Pessoa: Cícero Lucena (Progressistas) e Nilvan Ferreira (MDB)

Maceió: Alfredo Gaspar (MDB) e JHC (PSB)

Manaus: Amazonino Mendes (Podemos) e David Almeida (Avante)

Porto Alegre: Sebastião Melo (MDB) e Manuela d'Ávila (PCdoB)

Porto Velho: Hildon Chaves (PSDB) e Cristiane Lopes (PP)

Recife: João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT)

Rio Branco: Socorro Neri (PSB) e Tião Bocalom (PP)

Rio de Janeiro: Marcelo Crivella (Republicanos) e Eduardo Paes (DEM)

São Luís: Eduardo Braide (Pode) e Duarte Júnior (Republicanos)

São Paulo: Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL)

Teresina: Dr. Pessoa (MDB) e Kleber Montezuma (PSDB)

Vitória: Delegado Pazolini (Republicanos) e João Coser (PT)

Confira os 39 municípios onde haverá segundo turno:

Anápolis (GO): Roberto Naves (PP) e Antonio Gomide (PT)

Bauru (SP): Suéllen Rosim (Patriota) e Dr Raul (DEM)

Blumenau (SC): Mário Hildebrandt (Pode) e João Paulo Kleinübing (DEM)

Campinas (SP): Dário Saadi (Republicanos) e Rafa Zimbaldi (PL)

Campos dos Goytacazes (RJ): Wladimir Garotinho (PSD - sub judice) e Caio Vianna (PDT)

Canoas (RS): Jairo Jorge (PSD) e Luiz Carlos Busato (PTB)

Cariacica (ES): Euclério Sampaio (DEM) e Célia Tavares (PT)

Caucaia (CE): Naumi Amorim (PSD) e Vitor Valim (Pros)

Caxias do Sul (RS): Pepe Vargas (PT) e Adiló (PSDB)

Contagem (MG): Marília (PT) e Felipe Saliba (DEM)

Diadema (SP): Filippi (PT) e Taka Yamauchi (PSD)

Feira de Santana (BA): Zé Neto (PT) e Colbert Martins (MDB)

Franca (SP): Flávia Lancha (PSD) e Alexandre Ferreira (MDB)

Governador Valadares (MG): André Merlo (PSDB) e Dr Luciano (PSC)

Guarulhos (SP): Guti (PSD) e Elói Pietá (PT)

Joinville (SC): Darci de Matos (PSD) e Adriano Silva (Novo)

Juiz de Fora (MG): Margarida Salomão (PT) e Wilson Rezato (PSB)

Limeira (SP): Mario Botion (PSD) e Murilo Félix (Podemos)

Mauá (SP): Átila Jacomussi (PSB) e Marcelo Oliveira (PT)

Mogi das Cruzes (SP): Marcus Melo (PSDB) e Caio Cunha (Pode)

Paulista (PE): Yves Ribeiro (MDB) e Francisco Padilha (PSB)

Pelotas (RS): Paula Mascarenhas (PSDB) e Ivan Duarte (PT)

Petrópolis (RJ): Rubens Bomtempo (PSB) e Bernardo Rossi (PL)

Piracicaba (SP): Barjas Negri (PSDB) e Luciano Almeida (DEM)

Ponta Grossa (PR): Mabel Canto (PSC) e Professora Elizabeth (PSD)

Praia Grande (SP): Raquel Chini (PSDB) e Danilo Morgado (PSL)

Ribeirão Preto (SP): Duarte Nogueira (PSDB) e Suely Vilela (PSB)

Santa Maria (RS): Sergio Cecchim (PP) e Pozzobom (PSDB)

Santarém (PA): Nélio Aguiar (DEM) e Maria do Carmo (PT)

São Gonçalo (RJ): Dimas Gadelha (PT) e Capitão Nelson (Avante)

São João de Meriti (RJ): Dr João (DEM) e Leo Vieira (PSC)

São Vicente (SP): Solange Freitas (PSDB) e Kayo Amado (Pode)

Serra (ES): Sergio Vidigal (PDT) e Fabio Duarte (Rede)

Sorocaba (SP): Rodrigo Manga (Republicanos) e Jaqueline Coutinho (PSL)

Taboão da Serra (SP): Engenheiro Daniel (PSDB) e Aprigio (Pode)

Taubaté (SP): Saud (MDB) e Loreny (Cidadania)

Uberaba (MG): Elisa Araújo (Solidariedade) e Tony Carlos (PTB)

Vila Velha (ES): Arnadinho Borgo (Pode) e Max Filho (PSDB)

Vitória da Conquista (BA): Zé Raimundo (PT) e Herzem Gusmão (MDB)

Primeiro turno e pandemia

O Brasil tem 95 cidades com mais de 200 mil eleitores. Em 37 delas, os prefeitos foram eleitos no último dia 15 de novembro. Depois de domingo, apenas um município brasileiro ficará com a escolha do prefeito ainda pendente: Macapá (AP), com mais de 292 mil eleitores. Prejudicada por um apagão elétrico que se estendeu por 22 dias, a cidade terá o primeiro turno das eleições no dia 6 de dezembro. A segunda fase da disputa está marcada para o dia 20.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu não fazer o primeiro turno em Macapá no próximo domingo devido a uma limitação técnica. Nas 57 cidades onde haverá segundo turno, o sistema de informática do órgão está preparado para apurar e totalizar os votos atribuídos a apenas dois candidatos. Na capital amapaense, dez postulantes disputam o primeiro turno das eleições.

Dos dois senadores que concorreram no primeiro turno, no dia 15, apenas um continua no páreo. Vanderlan Cardoso (PSD-GO), que obteve 24,67% dos votos no primeiro turno, disputa a prefeitura de Goiânia com o atual prefeito, Maguito Vilela (MDB), que ficou com 36,02% dos votos. Em Natal, onde o senador Jean Paul Prates (PT-RN) conquistou 14,38% dos votos, Alvaro Dias (PSDB) foi reeleito em primeiro turno, com 56,58%. 

O TSE manteve para o próximo domingo as mesmas orientações sanitárias contra o coronavírus recomendadas no primeiro turno das eleições. O uso da máscara é obrigatório, e todos devem higienizar as mãos antes e depois de digitar o número do candidato na urna eletrônica. Cada seção eleitoral vai contar com álcool em gel para eleitores e mesários.

Os eleitores devem respeitar a distância mínima de um metro para outras pessoas. Outra recomendação é que cada um leve a sua própria caneta para assinar o caderno de votação. O objetivo é evitar o compartilhamento de objetos e diminuir o contato dos eleitores com superfícies eventualmente infectadas. A votação ocorre das 7h às 17h, com horário preferencial para idosos das 7h às 10h.

Com informações da Agência Senado e do Tribunal Superior Eleitoral

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247