Video-reportagem: ‘Mamaço’ no Itaú Cultural comprova força das redes sociais

Instituto Ita Cultural tomado por uma centena de mes com seus filhos em protesto restrio de amamentao; assista ao vdeo

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Marco Damiani, 247_ O Instituto Itaú Cultural é mais uma entidade a se dobrar à força das redes sociais. Nesta quinta-feira 12, cerca de cem mães com seus bebês em fase de amamentação ocuparam as instalações do centro de exposições de arte do banco Itaú para um protesto organizado via internet. Foi o chamado ‘mamaço’. Em oposição à atitude de uma monitora do instituto, que no início do mês proibiu a antropóloga Marina Barão de amamentar seu filho de dois meses num dos recintos de exposições, o grupo fez questão de ir até lá para praticar o aleitamento materno. Não houve alternativa para os responsáveis pelo instituto presidido por Milú Vilela, maior acionista individual do Itaú. O diretor Eduardo Saron aceitou a validade da manifestação, pediu, diante das mães, desculpas pela restrição à amamentação ocorrida anteriormente e preparou todo o ambiente para receber as mulheres e suas crianças. “Quando minha mulher soube do que havia acontecido, eu quase apanhei em casa”, disse ele, pai de um bebê de oito meses.

Durante o ‘mamaço’, as mães foram recebidas com atenção completa. Elas tiveram direito a assistir uma performance artística, a um filme a respeito de aleitamento e acesso, ainda, uma mesa repleta de bolos, salgadinhos, sucos e refrigerantes. No auditório, uma contadora de histórias entreteve as crianças. Em torno delas, uma série de assessoras conectadas entre si por telefones sem fio cuidava dos muitos jornalistas que cobriram o evento. “Nossa ideia inicial era fazer uma crítica mais dura a respeito do que aconteceu aqui antes”, disse Ilana, mãe do pequeno Lucas, ao Brasil 247. “Mas, de toda forma, o recado foi dado para que nunca mais aconteça esse tipo de restrição”.

Assista à vídeo-reportagem Brasil 247 "Mamaço no Itaú Cultural".



Assista a outras vídeo-reportagens Brasil 247: www.youtube.com/jornal247

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247