Voo 447: piloto não estava na cabine quando falha técnica começou

Informao consta da caixa-preta retirada do mar dias atrs, diz a revista alem Der Spiegel

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247_As primeiras e surpreendentes revelações contidas na caixa-preta do voo AF 447 da Air France que caiu no Oceano Atlântico, em 2009, começam a aparecer. Uma delas mostra que o piloto Marc Dubois não estava na cabine, quando o avião começou a apresentar problemas. A informação é da revista alemã Der Spiegel. Em apenas quatro minutos, o destino do voo AF 447 foi selado. Esse curto intervalo de tempo começou com o primeiro aviso de emergência no painel do Airbus e terminou com a queda a aeronave no mar, entre o Brasil e a África. Todos os passageiros e a tripulação, num total de 228 pessoas, morreram. O voo havia saído do Rio de Janeiro com destino a Paris.

Técnicos do Escritório de Investigação de Acidentes Aéreos da França (BEA, na sigla em francês) começaram a analisar o conteúdo das gravações contidas na caixa-preta do avião. As primeiras impressões apontam como causa do acidente uma conjunção de falhas técnicas e erros humanos.

O piloto Marc Dubois, de 58 anos, não estava na cabine do avião no momento em que os primeiros problemas se manifestaram. No entanto, o comandante dirigiu-se seu posto assim que percebeu que algo estava errado. “Ele instruiu os dois co-pilotos para salvar a aeronave”, disse uma fonte ao “Spiegel”. Apesar desse falha de procedimento, o avião já apresentava falhas técnicas. A baixa temperatura congelou os sensores de velocidade.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email