Waack diz que Bolsonaro é ridículo e cretino

Para o jornalista William Waack, o capital político do presidente Jair Bolsonaro vem se erodindo rapidamente "e episódios como a bagunça no MEC e as tiradas do chanceler, reiteradas pelo próprio presidente, produzem situações de ridículo, talvez o mais poderoso ácido corrosivo da imagem de quem precisa ser levado a sério para governar", diz; "No caso de cretinices, como a de dizer que o nazismo foi um movimento esquerdista, é diferente. Uma cretinice repetida mil vezes só vira uma cretinice ainda maior", destaca 

Waack diz que Bolsonaro é ridículo e cretino
Waack diz que Bolsonaro é ridículo e cretino

247 - Para o jornalista William Waack, o capital político do presidente Jair Bolsonaro vem se erodindo rapidamente "e episódios como a bagunça no MEC e as tiradas do chanceler, reiteradas pelo próprio presidente, produzem situações de ridículo, talvez o mais poderoso ácido corrosivo da imagem de quem precisa ser levado a sério para governar", diz. "No caso de cretinices, como a de dizer que o nazismo foi um movimento esquerdista, é diferente. Uma cretinice repetida mil vezes só vira uma cretinice ainda maior", destaca em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo.

"Alguns sinais de erosão desse capital são bem evidentes e só não enxerga quem não quer. Não são as pesquisas de opinião (na qual bolsonaristas, a risco próprio, não acreditam mesmo). Essa deterioração é perceptível em repetidas manifestações de impaciência com o ritmo (ou falta dele) que o governo imprimiu às reformas", avalia.

Waack observa que "a credibilidade e a confiança tão essenciais para qualquer governo estão hoje se deslocando sensivelmente da figura do "mito" em direção aos núcleos militar, econômico e da Justiça, com poucas figuras realmente de peso no mundo da política que o governo possa chamar de suas". "E episódios como a bagunça no MEC e as tiradas do chanceler, reiteradas pelo próprio presidente, produzem situações de ridículo, talvez o mais poderoso ácido corrosivo da imagem de quem precisa ser levado a sério para governar", avalia.

"Agora que ficamos sabendo, por exemplo, que Joseph Goebbels foi um esquerdista, vale a pena então lembrar uma frase celebremente atribuída a ele, a de que uma mentira repetida mil vezes vira uma verdade. No caso de cretinices, como a de dizer que o nazismo foi um movimento esquerdista, é diferente. Uma cretinice repetida mil vezes só vira uma cretinice ainda maior", afirma.

Leia a íntegra da coluna.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247