Weintraub é denunciado no STF por racismo contra chineses

De acordo com a ação, conduta do ministro da Educação é repugnante, não condiz com o cargo, prejudica as relações entre os países e discrimina descendentes que vivem no Brasil

Bandeira daChina e Abraham Weintraub
Bandeira daChina e Abraham Weintraub (Foto: Reuters | Alessandro Dantas)
Siga o Brasil 247 no Google News

Por Ricardo Ribeiro, na revista Fórum – O historiador e colunista da Fórum Vinicius Gomes Wu apresentou uma notícia-crime por racismo contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub, no Supremo Tribunal Federal.

Na ação, Wu argumenta que Weintraub, por suas recentes declarações contra a China, incorreu no crime de racismo, conforme previsto na Constituição brasileira: “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

No último sábado (4), o ministro publicou a capa de uma edição do gibi da Turma da Mônica que se passa na China e usou a fala típica do personagem Cebolinha, que troca o R pelo L, para ridicularizar a forma como imigrantes asiáticos falam português. Weintraub ainda insinuou que a China obteria benefícios com pandemia de coronavírus.

PUBLICIDADE

Apesar da reação da Embaixada da China no Brasil, o ministrou do governo Bolsonaro retomou as declarações racistas e em uma live do deputado filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, e em uma entrevista na TV Bandeirantes. Todos os episódios foram relatados na notícia-crime, bem como os laços significativos entre Brasil e China.

“A manifestação do Noticiado, além de indigna e repugnante, é totalmente incondizente com o padrão de conduto exigido de um ministro de Estado, prejudica o Brasil em suas relações internacionais e discrimina gravemente o povo chinês e os descendentes de chineses que têm em nosso país sua pátria e sua casa”, afirma Wu, em trecho da notícia-crime a que a Fórum teve acesso.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email