Weintraub ofende Paulo Freire e vira alvo de críticas

Mural de Paulo Freire em frente ao MEC "representa o fracasso total e absoluto" do Brasil no Pisa, disse o ministro da Educação, Abraham Weintraub, que também culpa o PT pelo desempenho do Brasil no ranking

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, ataca Paulo Freire
Ministro da Educação, Abraham Weintraub, ataca Paulo Freire (Foto: Agência Brasil / Reprodução Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O nome do educador e pensador Paulo Freire tem sido citado constantemente nesta terça-feira 3 nas redes sociais, principalmente em reação aos ataques feitos pelo ministro Abraham Weintraub ao patrono da educação brasileira, relacionando seu nome ao desempenho do Brasil no Pisa 2018.

"O símbolo máximo do fracasso da gestão do PT começou quando foi construída a lápide da educação. Ela está lá embaixo na entrada do MEC, que é esse mural do Paulo Freire. Representa esse fracasso total e absoluto", disse Weintraub. Seu irmão, Arthur Weintraub, também postou um ataque a Freire no Twitter.

Em nota, o ex-ministro da Educação Aloizio Mercadante contestou Weintraub e cobrou que projetos para o setor sejam apresentados pelo atual governo. "Mais uma vez, ao invés de procurar fazer uma análise aprofundada e apresentar propostas concretas para a melhoria da qualidade da educação brasileira, o governo Bolsonaro prefere justificar a tragédia que está em curso na educação com respostas evasivas e uma guerra ideológica obscurantista", disse. 

"Além de ser o segundo brasileiro com maior número de títulos de doutor honoris causa em todo mundo, Paulo Freire é um homem que dedicou sua vida à educação e deu uma contribuição inestimável para o país, a partir da construção de uma pedagogia libertadora, especialmente para alfabetização de adultos. Ele passou parte importante de sua vida dedicado a superar a perversa herança histórica do analfabetismo adulto. É só lembrar que em 1920, 75% da população brasileira era analfabeta", diz ainda Mercadante (leia aqui a íntegra). 

Confira algumas reações no Twitter:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email