Youssef relata propina a fiscais pela Pirelli

No depoimento a promotores criminais de São Paulo e representantes da Corregedoria-Geral da Administração do Estado, doleiro Alberto Youssef confirmou que o executivo Júlio Camargo representava a fabricante de cabos elétricos em 2010 e que foi procurado porque a empresa precisava pagar propina a fiscais do ICMS, para escapar de dívidas altas com o fisco paulista

No depoimento a promotores criminais de São Paulo e representantes da Corregedoria-Geral da Administração do Estado, doleiro Alberto Youssef confirmou que o executivo Júlio Camargo representava a fabricante de cabos elétricos em 2010 e que foi procurado porque a empresa precisava pagar propina a fiscais do ICMS, para escapar de dívidas altas com o fisco paulista
No depoimento a promotores criminais de São Paulo e representantes da Corregedoria-Geral da Administração do Estado, doleiro Alberto Youssef confirmou que o executivo Júlio Camargo representava a fabricante de cabos elétricos em 2010 e que foi procurado porque a empresa precisava pagar propina a fiscais do ICMS, para escapar de dívidas altas com o fisco paulista (Foto: Roberta Namour)

247 – Delator da operação Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef disse nesta quarta-feira, a promotores criminais de São Paulo e representantes da Corregedoria-Geral da Administração do Estado que pagou propina para fiscais ligados à Secretaria Estadual da Fazenda para que os agentes não cobrassem dívidas da empresa “Pirelli”.

Os valores, em envolvem a Pirelli Cabos Elétricos - podem chegar a pelo menos R$ 15 milhões.

No primeiro depoimento, ele revelou que o executivo Júlio Camargo representava a fabricante de cabos elétricos em 2010 e que foi procurado porque a empresa precisava pagar propina a fiscais do ICMS, para escapar de dívidas altas com o fisco paulista.

Camargo também é alvo da Lava Jato e também fez acordo de delação premiada.

Leia aqui a reportagem de Alexandre Hisayasu sobre o assunto.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247