Zanin: está provado que ação dos EUA na Lava Jato não era teoria da conspiração

Em tom irônico, o advogado Cristiano Zanin Martins, um dos responsáveis pela defesa do ex-presidente Lula, afirmou que, após a nova Vaza Jato, a "teoria da conspiração'" sobre a cooperação "informal" entre Operação Lava Jato e EUA "estava absolutamente correta"

Cristiano Zanin Martins
Cristiano Zanin Martins (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um dos responsáveis pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o advogado Cristiano Zanin Martins reforçou que houve uma cooperação ilegal da Lava Jato com os Estados Unidos, após reportagem do The Intercept Brasil revelar a realização de diligências entre membros da operação e do FBI fora dos parâmetros legais.

"Essa reportagem de hoje da Vaza Jato mostra que a 'teoria da conspiração' que apresentamos desde 2016 sobre a cooperação 'informal' dos EUA para construir casos no Brasil, usar o FCPA para 'entrar' em empresas brasileiras, etc estava absolutamente correta", escreveu o defensor no Twitter.

De acordo com a Vaza Jato, uma das consequências da relação promíscua entre o FBI e o Ministério Público Federal no Paraná foi acelerar a destruição da Odebrecht, uma das principais construtoras do País.

Outro detalhe é que o procurador e coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, admitiu que a Polícia Federal preferia tratar diretamente com os norte-americanos um pedido de extradição de um suspeito da operação em vez de seguir as vias legais, ou seja, sem passar pela Procuradoria-Geral da República nem pelo ministério da Justiça.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247