Anvisa nega pedido de importação da vacina Sputnik V

Seguido pelos demais diretores da Anvisa, o relator Alex Machado Campos classificou a situação atual da vacina russa contra a Covid-19 como um "mar de incertezas" e diz que dados apurados apontam um cenário de riscos "impressionante"

(Foto: Agustin Marcarian/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

Metrópoles - Em reunião extraordinária da diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizada na noite desta segunda (26), a agência negou a importação, em caráter excepcional e temporário, da vacina russa Sputnik V.

A autorização excepcional e temporária para importação foi pedida pelos estados da Bahia, Acre, Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Sergipe, Pernambuco e Rondônia. Esta liberação permite que os imunizantes sejam comprados, distribuídos e aplicados na população.

De acordo com a Lei nº 14.124, nesta modalidade, o solicitante que não enviou um relatório técnico da avaliação da vacina para o pedido de uso emergencial terá o processo analisado pela Anvisa em até 30 dias. No caso da Sputnik, a agência entrou com um pedido de extensão de prazo junto ao Supremo Tribunal Federal, que foi negado pelo ministro Ricardo Lewandowski.

PUBLICIDADE

O voto do relator, Alex Machado, foi acompanhado pelo dos diretores Romison Mota, Cristiane Jourdan Gomes, Meiruze Freitas e Antonio Barra Torres, negando a aprovação da importação por unanimidade. A deliberação foi feita com os documentos disponíveis até hoje, e pode ser revista com a inclusão de novas informações.

Continue lendo no Metrópoles

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email