Anvisa rejeita pedido da União Química para uso emergencial da vacina Sputnik

Segundo a Anivsa, os documentos não apresentaram "requisitos mínimos para submissão e análise". Neste domingo (17), a Anvisa vai decidir sobre os pedidos da Coronavac e do imunizante da Astrazeneca

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil (Anvisa) informou neste sábado (16) que devolveu os documentos submetidos pelo laboratório União Química para o pedido de uso emergencial da vacina Sputnik V contra a Covid-19.

De acordo com uma nota divulgada pela agência reguladora brasileira, a documentação foi devolvida porque não apresentou os requisitos mínimos para o uso emergencial do imunizante, que foi desenvolvido pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya da Rússia com apoio do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI).

"A Agência esclarece que não basta o pedido de autorização de estudo clínico de fase 3 estar protocolado para pedir uso emergencial. É necessário que tais estudos estejam em andamento no país, além de outras medidas condicionantes já previstas", diz a nota da Anvisa.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, secretários estaduais de Saúde se queixaram que a Anvisa estaria dificultando a liberação para o uso emergencial do imunizante russo, ao exigir que os estudos clínicos de fase 3 fossem feitos no Brasil.

Sobre o pedido para a realização de testes no Brasil, que foi feito no final de dezembro de 2020, a agência reguladora disse que já analisou a solicitação e está aguardando o envio de informações essenciais por parte do laboratório União Química desde o dia 4 de janeiro.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email