Aprovação de vacina contra Covid-19 da Rússia deverá acontecer até meados de agosto

Instituto Gamaleya, uma instituição estatal de pesquisa de Moscou, finalizou os primeiros testes de uma vacina baseada em adenovírus em humanos no início deste mês e acredita que iniciará testes em larga escala em agosto, informa a agência de notícias Reuters

Agente de saúde manuseia possível vacina para Covid-19 10/04/2020
Agente de saúde manuseia possível vacina para Covid-19 10/04/2020 (Foto: REUTERS/Dado Ruvic)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A primeira vacina contra Covid-19 em potencial da Rússia receberá aprovação regulatória local na primeira metade de agosto e será administrada a profissionais de saúde da linha de frente pouco depois, disse à Reuters uma fonte de desenvolvimento a par do assunto.

O Instituto Gamaleya, uma instituição estatal de pesquisa de Moscou, finalizou os primeiros testes de uma vacina baseada em adenovírus em humanos no início deste mês e acredita que iniciará testes de larga escala em agosto.

A vacina receberá aprovação regulatória das autoridades russas durante a realização do teste de larga escala, disse a fonte, mostrando a determinação da Rússia de ser o primeiro país do mundo a aprovar uma vacina contra a Covid-19.

A velocidade com que o país está se mobilizando para apresentar uma vacina levou parte da mídia ocidental a questionar se Moscou está colocando o prestígio nacional acima dos indícios científicos confiáveis e da segurança.

“A aprovação (regulatória) virá nas primeiras duas semanas de agosto”, disse a fonte de desenvolvimento. “10 de agosto é a data esperada, mas com certeza será antes de 15 de agosto. Todos os resultados (do teste) são altamente positivos até agora.”

A fonte acrescentou que os profissionais de saúde russos que tratam pacientes de Covid-19 terão a chance de se oferecer para receberem a aplicação antes de a vacina conquistar a aprovação regulatória.

Separadamente, a agência de notícias russa Interfax citou “uma fonte informada” segundo a qual a vacina será registrada entre 10 e 12 de agosto e administrada a partir de 15 de agosto.

O serviço de imprensa do Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF), que está coordenando e financiando os esforços russos de desenvolvimento de vacinas, não quis comentar, mas seu chefe, Kirill Dmitriev, negou que a iniciativa está comprometendo a segurança.

“O Ministério da Saúde da Rússia está seguindo todos os procedimentos rígidos necessários. Não está se tomando nenhum atalho”, disse Dmitriev na terça-feira.

Ele comparou o que disse ser o sucesso do país no desenvolvimento de uma vacina ao lançamento soviético do Sputnik 1, o primeiro satélite do mundo, em 1957.

O Centro Nacional de Segurança Cibernética do Reino Unido disse neste mês que hackers apoiados pelo Estado russo estavam tentando roubar pesquisas sobre vacinas e tratamentos de Covid-19 de instituições acadêmicas e farmacêuticas de todo o mundo —alegação que Moscou negou.

Mais de 100 possíveis vacinas estão sendo desenvolvidas em todo o mundo para tentar deter a pandemia de coronavírus. Ao menos quatro estão na Fase 3 de testes em humanos, a última antes do registro, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) —três na China e outra no Reino Unido.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247