Brasil deverá chegar a 500 mil mortos por Covid-19 em até 3 meses, diz ex-ministro Arthur Chioro

Ex-ministro da Saúde Arthur Chioro, afirmou que o Brasil deve passar dos 500 mil mortos por Covid-19 em dois ou três meses. Projeção se baseia no avanço do número de óbitos nos últimos meses

www.brasil247.com -
(Foto: Brasil247 | Reuters)


Luísa Fragão, Revista Fórum - O médico sanitarista e ex-ministro da Saúde durante o governo de Dilma Rousseff (PT), Arthur Chioro, afirmou em entrevista ao Fórum Onze e Meia, nesta quarta-feira (3), que o Brasil deve passar dos 500 mil mortos por Covid-19 em dois ou três meses.

O ex-ministro da Saúde lembrou de um estudo divulgado em março de 2020 – início da pandemia no Brasil – pela universidade britânica Imperial College. O artigo apresentava projeções do número de óbitos em diversos países do mundo.

“Se o Brasil tivesse feito a lição de casa, ainda assim nós teríamos 44 mil mortes. No pior cenário, chegaríamos a 1,1 milhão de óbitos”, comentou o médico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A projeção que Chioro faz para os próximos meses se baseia no avanço do número de óbitos nos últimos meses. O ex-ministro apontou o rápido crescimento de vítimas fatais da doença entre o final do ano passado e começo deste ano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email