Gustavo Lima reclama da imprensa e declara apoio à cloroquina: "já deu certo"

O cantor Gustavo Lima afirmou em vídeo em rede social que a imprensa não noticia "a grande vacina" contra o coronavírus, a cloroquina, que na verdade se trata de uma substância ainda em análise para tratar a Covid-19

Gustavo Lima
Gustavo Lima (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O cantor sertanejo Gustavo Lima, em live em rede social, reclamou da atuação da imprensa durante a pandemia de coronavírus. De acordo com o cantor, o jornalismo brasileiro não noticia o surgimento da "grande vacina" contra a Covid-19, se referindo à cloroquina.

A cloroquina tem sido amplamente defendida por Jair Bolsonaro mas, na realidade, está ainda em análise como possível remédio para tratamento da Covid. O medicamento, que se trata de um comprimido, é apontado como responsável pela morte de alguns pacientes pelo mundo.

"O governo está desdobrando com esse negócio da cloroquina, que é uma grande saída. Eu não vi nenhum programa de televisão, não vi nenhum jornal noticiar isso. Por que não noticia isso? Por que não noticia que tem um grande remédio, uma grande vacina, uma grande cura a caminho? EU não vi nenhuma notícia ainda, nenhum jornalismo brasileiro, de nenhuma emissora, noticiar isso. Pelo amor de Deus. Está mais a favor de esparramar o pânico do que a paz, então pelo amor de Deus, não faz isso não. Vamos apoiar o governo, vamos apoiar a OMS, todo mundo, os médicos, enfermeiros e noticiar que já saiu essa vacina aí, essa cura aí que, se Deus quiser, vai dar certo. Já deu certo", disse o cantor.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247