Internautas chineses pedem à OMS investigação do laboratório Fort Detrick, dos EUA

O número de assinantes já chegava a 5,5 milhões até a manhã desta quinta-feira (22). A carta apela por uma investigação no laboratório biológico na próxima fase do rastreamento da origem do novo coronavírus

Laboratório Fort Detrick, nos EUA
Laboratório Fort Detrick, nos EUA (Foto: Staff file photo by Bill Green)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rádio Internacional da China - Até a manhã da quinta-feira (22), mais de 5,5 milhões de internautas chineses já assinaram uma carta aberta à Organização Mundial da Saúde (OMS), pedindo uma investigação no laboratório biológico dos Estados Unidos em Fort Detrick. O número de assinantes continua crescendo e está sendo acompanhado pela imprensa estrangeira.

Em junho, internautas chineses enviaram uma carta aberta à OMS apelando por uma investigação no laboratório. No dia 17 de julho, eles publicaram novamente uma carta à entidade pedindo uma investigação no laboratório para realizar realizada por países independentes da influência geopolítica dos Estados Unidos, como a China. A carta recebeu assinaturas de cerca de 1 milhão de internautas ao ser publicado na conta oficial no Wechat do Global Times.

A ação conjunta de internautas chineses chamou a atenção da imprensa estrangeira. Após um dia, a agência de notícias russa Sputnik fez a cobertura do caso e mencionou que 500 mil chineses pediam uma investigação em Fort Detrick para “prevenir” a próxima pandemia. No dia 19, a United Press International (UPI) avaliou que a China aproveita o caso para recusar a proposta da OMS de uma nova investigação no laboratório chinês e transferir o foco para Fort Detrick.

PUBLICIDADE

O jornal filipino Manila Times apontou que o contexto da ação conjunta é que “certos políticos e mídias ocidentais lançaram uma nova rodada de campanhas de difamação para caracterizar a China como a principal culpada da origem de Covid-19.” Segundo a reportagem, a carta aberta mencionou especificamente que são depositados em Fort Detrick os vírus mais letais e infecciosos do mundo, como Ebola, Varíola, SARS, MERS e o novo coronavírus. Em 2019, este misterioso laboratório foi temporariamente fechado. Embora se afirmasse que o motivo era "problemas contínuos na infraestrutura de depuração de esgotos", esta explicação não foi suficientemente convincente.

De acordo com estatísticas incompletas do Global Times, a ação conjunta de internautas chineses foi citada mais de 100 vezes pela mídia de pelo menos 20 países, incluindo The Diplomat, Breitbart News Network, Washington Examiner, RIA Novosti, Nezavissimaia Gazeta, ANI, Kompas, Fars news agency, Brasil 247 e outros meios de comunicação.

PUBLICIDADE

Tradução: Nina Niu
Edição: Diego Goulart

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email