Mais de 300 mil africanos podem morrer, diz ONU

A vulnerabilidade acontece "porque 56% da população urbana se concentra em bairros da periferia ou habitações informais, e apenas 34% das residências africanas têm acesso a instalações

(Foto: UgandaRedCross | REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Comissão Econômica das Nações Unidas para a África (UNECA, na sigla em inglês) alertou que mais de 300 mil africanos podem morrer em meio à pandemia do novo coronavírus. A vulnerabilidade acontece "porque 56% da população urbana se concentra em bairros da periferia ou habitações informais, e apenas 34% das residências africanas têm acesso a instalações básicas para lavar as mãos", comunicou a comissão regional da ONU. A informação é do portal UOL.

Na África, crescimento econômico deve “diminuir de 3,2% a 1,8% no melhor dos casos, empurrando cerca de 27 milhões de pessoas à extrema pobreza". "Para proteger e construir a prosperidade comum do continente, são necessários US$ 100 bilhões para proporcionar urgente e imediatamente margem fiscal a todos os países e ajudar a abordar as imediatas necessidades das populações", afirmou a secretária executiva da UNECA, Vera Songwe

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247