Ministério da Saúde admite que 10 milhões de doses de vacinas estão paradas no centro de distribuição

Caso não melhore a logística de distribuição, a situação pode se agravar. Estão previstos a chegada de mais dois lotes com 30 milhões de doses da Coronavac até o final de agosto e aproximadamente 70 milhões de doses da Pfizer até o final de setembro

www.brasil247.com -
(Foto: Dado Ruvic/Reuters)


247 -O Ministério da Saúde admitiu que quase 10 milhões de doses de vacinas contra Covid da Pfizer e Coronavac estão paradas no centro de distribuição em Guarulhos, em São Paulo. O ministério disse que ainda nesta quinta-feira (12) irá começar a liberar 3,6 milhões de doses, que devem chegar aos estados no fim de semana. O restante das doses, diz a pasta, ainda aguardam liberação do Instituto Nacional de Controle de Qualidade e da Anvisa.

Enquanto isso, prefeitos e governadores têm reclamado do atraso no recebimento de vacinas. No Rio, por exemplo, o prefeito Eduardo Paes (PSD) suspendeu a vacinação porque não tinha imunizantes no estoque para contemplar o calendário vacinal. Ela anunciou que só vai retomar a vacinação a partir de sexta-feira (13).  

Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) criticou o Ministério da Saúde por não cumprir o acordo de enviar doses da Pfizer que estariam faltando no estado. Dória, inclusive, ameaçou entrar na Justiça contra o MS. O ministério, por sua vez, entrou em acordo com o estado e disse que até terça-feira (10) enviaria 50 mil doses adicionais da Pfizer. Mas, até o momento, segundo Doria, as doses não foram enviadas. 

Caso não melhore a logística de distribuição, a situação pode se agravar. Segundo reportagem da GloboNews, nas próximas semanas o Ministério da Saúde deve receber novos lotes de vacinas da Pfizer e Coronavac. Estão previstas 30 milhões de doses da Coronavac até o final de agosto e aproximadamente 70 milhões de doses da Pfizer até o final de setembro. 

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e assista:


O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email