Osmar Terra é o parlamentar que mais publica fake news sobre coronavírus, segundo levantamento

A análise considerou os 1,5 mil tweets sobre o assunto com mais interações publicados por membros da Câmara dos Deputados e do Senado (incluindo suplentes e licenciados) entre 20 de fevereiro e 8 de abril. Eduardo Bolsonaro aparece em segundo lugar

(Foto: José Cruz/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Cotado para assumir o Ministério da Saúde no lugar do médico Luiz Henrique Mandetta, o ex-ministro da Cidadania Osmar Terra (MDB-RS) é o parlamentar que mais divulga fake news sobre o novo coronavírus no Twitter, segundo levantamento do Radar Aos Fatos. A análise considerou os 1,5 mil tweets sobre o assunto com mais interações publicados por membros da Câmara dos Deputados e do Senado (incluindo suplentes e licenciados) entre 20 de fevereiro e 8 de abril.

Foram encontradas 159 postagens com desinformação veiculadas por 22 parlamentares e que somavam cerca de 1,58 milhão de interações no período. Terra foi responsável por 38 desses posts (23,9%) e 522.485 dessas interações (32,9%). No segundo lugar está Eduardo Bolsonaro cujas publicações tiveram 18% das interações, e Bia Kicis (PSL-DF), com 10%. Dos 22 parlamentares, 19 são da base do governo de Jair Bolsonaro - 12 do PSL, ex-partido do presidente, e outros sete de PSC, Republicanos, Podemos, PSD e, no caso de Osmar Terra, MDB.

O deputado gaúcho é é crítico às medidas de isolamento social, assim como Bolsonaro, e defende o uso da cloroquina contra o coronavírus, mesmo sem eficácia científica reconhecida pela Organização Mundial da Saúde.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247