País fica perplexo com boicote do governo federal ao isolamento

O Brasil está perplexo com os movimentos de Bolsonaro e seu governo em relação à gravíssima crise do coronavírus. O auxílio emergencial de R$ 600 está sendo boicotado por Bolsonaro e Paulo Guedes e não foi liberado até agora. E o Ministério da Saúde prepara-se para abrandar o isolamento social logo depois da Páscoa, enquanto os governadores estendem o prazo do mesmo isolamento por mais duas semanas.

(Foto: PR | Gov. SP | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Brasil está perdido diante do boicote ao país e ambiente de balbúrdia promovidos pelo governo federal na crise do coronavírus. Bolsonaro e Guedes estão inviabilizando o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 reais definido pelo Senado. Para piorar as coisas, enquanto João Doria e outros governadores anunciam a extensão do período de isolamento social, o Ministério da Saúde prepara a flexibilização da medida logo depois da Páscoa.

Enquanto João Doria preparava-se, na manhã desta segunda-feira (6), para anunciar a extensão da quarentena em todo o Estado de São Paulo até o fim do mês, foi revelado que o Ministério da Saúde planeja iniciar a flexibilização do isolamento, inaugurando um de nome “restrito", que se aproxima do “isolamento vertical” defendido por Bolsonaro e criticado por especialistas em saúde em todo mundo. A nova orientação passaria a valer depois da Páscoa, dia 13.

A confusão acontece no exato momento em que o próprio Ministério da Saúde anunciou que marca ingresso do Brasil no período mais agudo da pandemia.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email