'Precisamos cuidar também da depressão dos idosos', alerta médico geriatra

“Saúde mental dos idosos agora e como eles vão ser cuidados é o próximo passo da informação. Eles vão sofrer muito com depressão e falta de assistência”, alertou o geriatra Leandro Minozzo, em conversa com a TV 247. Assista

Leandro Minozzo
Leandro Minozzo (Foto: Reprodução | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O médico geriatra Leandro Minozzo falou à TV 247 sobre a necessidade de cuidar da saúde mental dos idosos durante a quarentena motivada pela pandemia de coronavírus. Apesar de reforçar a importância do isolamento social, o médico recomendou que familiares entrem em contato via tecnologia ou até mesmo se encontrem com os idosos a uma distância segura.

Para Minozzo, a saúde mental dos mais velhos deve ser o próximo aspecto da quarentena  a ser pensado. “Saúde mental dos idosos agora e como eles vão ser cuidados é o próximo passo da informação. O primeiro passo a gente deu, no Brasil todo. Até agora a gente informou que é um problema sério, a partir de agora a gente vai ter que começar a informar alternativas, o que olhar, novas rotinas, porque nos próximos meses vai ser essa a tônica com os idosos. Eles vão sofrer muito com depressão e falta de assistência”.

O geriatra recomendou que sejam feitas visitas ao idosos para entretê-los, mas sempre adotando as práticas de prevenção necessárias e mantendo uma distância segura para não infectá-los. “Acho importante o contato com as pessoas, que os familiares tentem através da tecnologia, ou se não tiverem tecnologia ir até ao encontro dos idosos que estão isolados, isso é um detalhe importante. Se o idoso mora em uma casa, ele coloca uma cadeira para você sentar e outra a 3 metros, longe, não tem motivo disso não acontecer. Tu pode conversar com a pessoa, não precisa manter esse isolamento total. As pessoas têm conseguido ficar em casa eu acho, mas muitas vezes vai ser necessário ter esse contato com os idosos porque se não o problema psicológico é maior”.

A esse público de risco, o médico receitou que procurem alguma tarefa para ocupar os dias de quarentena. “Idoso tem que ter alguma ocupação, precisa ter isso, faz parte da vida. O que ajuda muito os idosos a superar a depressão ou não entrar em depressão é eles se sentirem úteis de alguma maneira ajudando os outros. É interessante o familiar e o idoso perceberem isso”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email