Rússia fecha acordo para vender 50 milhões de vacinas ao Brasil

Além do Paraná, um segundo estado, que deve ser a Bahia, também comprará a Sputnik V, vacina desenvolvida pela Rússia contra a Covid-19. "Isso para nós é uma parceria importante", disse o diretor-geral do Fundo Russo de Investimentos Diretos, Kirill Dmitriev

Frascos de vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, de Moscou 06/08/2020
Frascos de vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, de Moscou 06/08/2020 (Foto: Fundo Russo de Investimento Direto/Divulgação via REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) anuncia o envio de até 100 milhões de doses de sua vacina Sputnik V contra a Covid-19 para América Latina.

O diretor-geral do RFPI, Kirill Dmitriev, anunciou o volume de doses da vacina com destino ao Brasil.

"No Brasil, nós já fechamos acordo com o estado do Paraná, e amanhã [11] anunciaremos o acordo com mais um estado. Eles vão comprar 50 milhões de doses da vacina, e isso para nós é uma parceria importante", declarou Dmitriev.

No início de setembro, o Paraná havia anunciado início dos testes da vacina russa em pelo menos dez mil voluntários a partir de outubro.

O acordo com o RFPI inclui, além de uma terceira fase de testes, a produção e distribuição do medicamento no território do Brasil.

Quanto ao fornecimento do medicamento à América Latina, Dmitriev disse:

"Ontem [9], nós acordamos o fornecimento de 32 milhões de doses da vacina para o México. Em breve, literalmente amanhã, nós anunciaremos o fornecimento de até 100 milhões de doses para outros países da América Latina", declarou Dmitriev durante videoconferência com representantes de países latino-americanos.

Sputnik V

Nesta quinta-feira (10), cientistas do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, desenvolvedor da vacina, defenderam que os dados publicados na revista The Lancet sobre os testes clínicos do medicamento são confiáveis, ao passo que cientistas estrangeiros duvidaram da autenticidade dos dados.

Especialistas da revista científica fizeram uma perícia dos dados, de acordo com o Centro Gamaleya.

Enquanto isso, o medicamento tem atraído a atenção de diversos países do mundo, sendo que parte deles é latino-americana.

Por sua vez, Denis Logunov, vice-diretor do Centro Gamaleya, voltou a assegurar a eficácia da vacina hoje (10).

"Tal sistema dos testes pré-clínicos iniciais e dos testes clínicos de primeira e segunda fases posteriores mostra que ela [a vacina Sputnik V] induz uma resposta imunológica em 100% dos casos", afirmou Logunov em declaração à imprensa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email