Russos procuram parceria com Instituto Butantan para produção de vacina contra Covid-19, segundo Dimas Covas

O governo russo anunciou na terça-feira, 28, que poderá ter uma vacina contra o coronavírus aprovada em apenas duas semanas

(Foto: REUTERS / Dado Ruvic)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse na quarta-feira, 30, que o instituto foi procurado por representantes do governo da Rússia para desenvolver uma parceria na produção da vacina russa contra o coronavírus que estão desenvolvendo no país.

"Em um primeiro momento, nós dissemos o seguinte: 'Olha, até podemos avaliar porque é uma tecnologia diferente, uma tecnologia que nós não conhecemos, mas precisamos ter mais dados técnicos para poder fazer essa avaliação e precisamos de dados mais concretos em relação aos estudos que já foram feitos’", disse Covas. Ele disse que os russos ainda não responderam sobre as informações solicitadas.

O governo russo anunciou na terça-feira, 28, que poderá ter uma vacina contra a Covid-19 aprovada em apenas duas semanas. Covas, entretanto, pontuou que "não é uma vacina que está em fase final de desenvolvimento. Se você procurar as vacinas que estão em fase final de desenvolvimento pelo próprio site da Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacina russa não está lá listada".

Atualmente o Instituto Butantan trabalha com o desenvolvimento de uma vacina chinesa com a empresa SinoVac Biotech. Ela já começou a ser testada no Brasil e a pesquisa deve estar pronta no final de outubro deste ano. Ela está na Fase 3, que é a última antes da aprovação (ou não) dos órgãos reguladores. O governador João Doria (PSDB) afirmou que irá a dobrar a produção da vacina no estado de São Paulo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247