Secretários de Saúde apontam inconsistência e desinformação nos dados apresentados pelo ministério da Saúde

Segundo secretários estaduais, não é possível avaliar as políticas públicas se os dados consolidados pelo Ministério de Saúde não estão corretos

Operários preparam covas em cemitério de Taguatinga, em Brasília, durante a pandemia de Covid-19 16/07/2020
Operários preparam covas em cemitério de Taguatinga, em Brasília, durante a pandemia de Covid-19 16/07/2020 (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Há mais de dois meses sem um ministro, o ministério da Saúde é acusado pelo conselho dos secretários estaduais de Saúde de inconsistências de dados nos sistemas de monitoramento de casos de Covid-19 do governo federal. 

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, o órgão solicitou reunião com o ministro interino, Eduardo Pazuello para discutir a grave situação.

Segundo a reportagem,  em ofício enviado ao interino da Saúde, a entidade aponta a coexistência de dois sistemas paralelos que são alimentados de forma diferente e, por isso, chegam a informações conflitantes. O Conass quer a integração entre os dois modelos, também com os dados dos estados.

Os secretários estaduais exemplificam o nível de desorganização:  de acordo com eles, um dos sistemas leva, por exemplo, à interpretação de que metade dos internados em Pernambuco teria morrido. A reunião com Pazuello ainda não foi marcada.

O órgão espera uma resposta do ministério a respeito da data de reunião para abordar o assunto. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247