Sem subnotificação, mortes por Covid-19 no Brasil teriam superado 400 mil

O Brasil chegou à triste marca de 300 mil mortes por Covid-19 nesta quarta-feira (25), mas a tragédia pode ser bem maior por causa do atraso das notificações de óbitos pela doença e por casos que não foram notificados por falta de testes

www.brasil247.com -
(Foto: Chico Batata/Divulgação | Marcos Corrêa/PR)


247 - O Brasil chegou à 300 mil mortes por Covid-19 nesta quarta-feira (25), mas a tragédia pode ser bem maior por causa do atraso das notificações de óbitos pela doença e por casos que não foram notificados por falta de testes. Dados do Observatório Covid-19 mostram que até hoje os óbitos por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) somavam 415,5 mil casos, enquanto os óbitos por covid-19, um tipo de SRAG, eram de 320 mil. A informação é do portal Valor Econômico

“Essa diferença de quase 100 mil para as mortes por SRAG é basicamente covid-19”, afirma Leonardo Bastos, estatístico da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) e colaborador do Observatório, uma rede de pesquisadores de várias instituições que estudam a doença.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A reportagem ainda indica que a diferença entre o número do Observatório e o dado oficial divulgado hoje, de 300,6 mil mortes, ocorre porque os pesquisadores aplicam ao modelo chamado nowcasting, que ajusta o atraso nas notificações. “Tomamos como base a data do óbito. As mortes desta semana só vão entrar no sistema daqui a dez dias. O modelo antecipa, prevê quanto seria esse número hoje. Quando se olha a data do evento, se entende melhor a dinâmica da doença”, afirma Bastos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email