Sem subnotificação, mortes por Covid-19 no Brasil teriam superado 400 mil

O Brasil chegou à triste marca de 300 mil mortes por Covid-19 nesta quarta-feira (25), mas a tragédia pode ser bem maior por causa do atraso das notificações de óbitos pela doença e por casos que não foram notificados por falta de testes

(Foto: Chico Batata/Divulgação | Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O Brasil chegou à 300 mil mortes por Covid-19 nesta quarta-feira (25), mas a tragédia pode ser bem maior por causa do atraso das notificações de óbitos pela doença e por casos que não foram notificados por falta de testes. Dados do Observatório Covid-19 mostram que até hoje os óbitos por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) somavam 415,5 mil casos, enquanto os óbitos por covid-19, um tipo de SRAG, eram de 320 mil. A informação é do portal Valor Econômico

“Essa diferença de quase 100 mil para as mortes por SRAG é basicamente covid-19”, afirma Leonardo Bastos, estatístico da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) e colaborador do Observatório, uma rede de pesquisadores de várias instituições que estudam a doença.

A reportagem ainda indica que a diferença entre o número do Observatório e o dado oficial divulgado hoje, de 300,6 mil mortes, ocorre porque os pesquisadores aplicam ao modelo chamado nowcasting, que ajusta o atraso nas notificações. “Tomamos como base a data do óbito. As mortes desta semana só vão entrar no sistema daqui a dez dias. O modelo antecipa, prevê quanto seria esse número hoje. Quando se olha a data do evento, se entende melhor a dinâmica da doença”, afirma Bastos.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email