Vacina de Oxford é “segura”, tem poucos efeitos secundários e induz resposta imunitária

Primeiros resultados do ensaio envolvendo cerca de 1.077 pessoas foram divulgados nesta segunda-feira (20). De acordo com os dados, as pessoas que receberam a imunização produziram anticorpos e glóbulos brancos para combater o vírus

Agente de saúde manuseia possível vacina para Covid-19 10/04/2020
Agente de saúde manuseia possível vacina para Covid-19 10/04/2020 (Foto: REUTERS/Dado Ruvic)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A comunidade científica avança no combate ao coronavírus. A vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, parece ser segura e capaz de desenvolver anticorpos contra o novo coronavírus, revela reportagem do portal UOL. 

Segundo a reportagem, os primeiros resultados do ensaio envolvendo cerca de 1.077 pessoas foram divulgados nesta segunda-feira (20), na renomada revista The Lancet.

De acordo com os dados, as pessoas que receberam a imunização produziram anticorpos e glóbulos brancos para combater o vírus. 

A vacina, chamada AZD1222, não apresentou nenhum efeito colateral grave. 

A vacina está no terceiro nível de testes e tem cerca de 80% de eficácia na prevenção da forma grave da doença entre os infectados.

A produção e distribuição da vacina poderá ocorrer ainda este ano, sem prazo definido. Outras estimativas, entretanto, falam em primeiro trimestre de 2021.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247