Bolsonaro acionou a Abin para mudar os rumos da CPI da Covid

Jair Bolsonaro acionou a Abin para elaborar uma lista com supostas “irregularidades relacionadas à pandemia” em “âmbito estadual e municipal” com o objetivo de mudar os rumos das investigações da CPI da Covid. Ordem foi dada um dia após o ex-ministro ex-ministro Luiz Henrique Mandetta prestar depoimento

Agência Brasileira de Inteligência (Abin)
Agência Brasileira de Inteligência (Abin) (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Jair Bolsonaro acionou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin)  para elaborar uma “compilação de dados” sobre suposta “irregularidades relacionadas à pandemia” em “âmbito estadual e municipal” visando mudar os rumos da CPI da Covid. As informações são da revista  Crusoé.

De acordo com reportagem, a “demanda urgente” foi enviada por meio de um aplicativo de mensagens na última quarta-feira (5), um dia após o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta prestar depoimento aos integrantes do colegiado. 

Junto com a ordem, enviada às 26 superintendências estaduais da Abin, os agentes teriam recebido o link para uma planilha de Excel onde deveriam ser inseridos os nomes dos estados e dos municípios investigados, além de um resumo do fato e a origem da informação. O material deveria ser preenchido até o final da tarde da quarta-feira. 

PUBLICIDADE

A mensagem também orientava os agentes a procurarem informações “exclusivamente em fontes abertas das SEs [superintendências estaduais]”, evitando o acesso a bancos de dados sigilosos. 

O setor responsável pela solicitação foi o Centro de Inteligência Nacional (CIN), também conhecido como “central bolsonarista” da agência, ou “Abin paralela”. O CIN esteve envolvido  no envio de documentos e informações ao senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) visando a anulação de provas do esquema de “rachadinhas” em seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email