CPI da Covid quer investigar se presidente da Anvisa sofreu pressão de Bolsonaro para boicotar vacinas chinesa e russa

Comissão, que ouvirá Antonio Barra Torres nesta terça-feira (11), poderá quebrar seu sigilo na investigação sobre boicote às vacinas chinesa e russa

Antonio Barra Torres
Antonio Barra Torres (Foto: Pedro França/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A CPI da Covid poderá quebrar o sigilo telefônico e telemático do presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres, para verificar se ele sofreu pressão de Jair Bolsonaro para atrasar a análise do registro de vacinas.

O diretor da agência, que é contra-almirante da Marinha, falará nesta terça-feira (11) na comissão e também será questionado sobre o assunto, informa a Folha de S.Paulo.

Torres é aliado próximo de Bolsonaro, por isso haverá perguntas se ele sofreu algum tipo de pressão para acelerar ou retardar a análise do registro de vacinas e se ele já deixou o posicionamento ideológico contaminar alguma decisão.

PUBLICIDADE

Alguns senadores disseram que o processo de registro da Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, estará entre os questionamentos feitos ao presidente da agência reguladora, pois a vacina foi alvo de diversos ataques de Bolsonaro.

Haverá questionamentos também sobre a vacina russa Sputnik V. Senadores acreditam que  a Anvisa está boicotando a aprovação do imunizante, que tem sido usado em diversos países.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email