CPI da Covid vai questionar ex-ministros se decisões foram técnicas ou ordens diretas de Bolsonaro

Parlamentares disseram que uma das perguntas mais repetidas será "isso foi decisão do senhor ou ordem superior?". CPI da Covid, que tem como presidente Omar Aziz (PSD-AM), ouve nesta terça-feira (4) os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich

Senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid
Senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid (Foto: Agência Senado | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Senadores da CPI da Covid vão questionar ex-ministros da Saúde e o atual titular da pasta, Marcelo Queiroga, se as decisões da pasta foram decorrentes de eventuais interferências de Jair Bolsonaro ou de decisões técnicas. Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, que foram ministros no atual governo, depõem nesta terça-feira (4) na Comissão Parlamentar de Inquérito. Nesta quarta (5) será a vez do ex-ministro Eduardo Pazuello e, no dia seguinte, Queiroga e o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres. 

Parlamentares disseram que uma das perguntas mais repetidas será "isso foi decisão do senhor ou ordem superior?". A informação foi publicada em reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com o senador Humberto Costa (PT-PE), será "necessário cobrar as posições, saber dos fatos, entender determinados posicionamentos e, por outro lado, saber as dificuldades que [o ministro] encontrou, o que o presidente interferiu que dificultou o processo de enfrentamento [da pandemia]". 

O petista afirmou que ao menos dez perguntas estão preparadas para Mandetta sobre testagem, "tratamento precoce" e a falta de utilização da atenção básica de saúde.

Posição parecida tem o vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). "O que a gente quer saber do Mandetta e dos demais é quais ações ou omissões levaram ao agravamento da pandemia no Brasil. Isso será uma constante", afirmou.

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email