Documentos do Itamaraty mostram que Pazuello ofereceu o protocolo do 'tratamento precoce' para a OMS

"(Pazuello) ofereceu à OMS o compartilhamento de protocolo desenvolvido no Brasil para tratamento precoce da doença, fruto de conhecimento acumulado nas diferentes regiões do país", diz trecho de documento do Itamaraty enviado à CPI da Covid

Eduardo Pazuello
Eduardo Pazuello (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Documentos enviados à CPI da Covid revelam que, em setembro do ano passado, o então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ofereceu ao diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom, "o compartilhamento de protocolo desenvolvido no Brasil para tratamento precoce da doença". Na época, o Brasil discutia a adesão ao consórcio mundial de vacinas Covax Facility e diversos estudos já haviam descartado o uso de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19.

"(Pazuello) ofereceu à OMS o compartilhamento de protocolo desenvolvido no Brasil para tratamento precoce da doença, fruto de conhecimento acumulado nas diferentes regiões do país. Ponderou que a conversação com a OMS será mais eficaz se os dois lados mantiverem perfil discreto", diz o trecho de um documento do Itamaraty, segundo o jornal O Globo

Ainda de acordo com a reportagem, um telegrama do Itamaraty destaca que Tedros "sublinhou que o interesse da OMS seria apoiar o Brasil em salvar vidas", e que "manifestou interesse no protocolo de tratamento mencionado por Pazuello".

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email