Ernesto Araújo e filhos de Bolsonaro dificultaram negociações com a China por insumos, diz Mandetta

Na CPI da Covid, o ex-ministro da Saúde afirmou que as declarações de Eduardo Bolsonaro com insultos à China causavam "mal-estar" entre os dois países

Luiz Henrique Mandetta
Luiz Henrique Mandetta (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que presta depoimento à CPI da Covid nesta terça-feira (4), afirmou que o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo e os três filhos de Jair Bolsonaro - o senador Flávio, o deputado federal Eduardo e o vereador Carlos - foram entraves para a negociação entre Brasil e China por insumos para combater a pandemia.

O ministro citou que as costumeiras declarações de Eduardo Bolsonaro com insultos à China causavam "mal-estar".

"O bom diálogo com a China era mais que necessário, mas tinha muita dificuldade com o ministro das Relações Exteriores. O Eduardo Bolsonaro tinha rotas de colisão com a China através de tuítes que geravam mal-estar. Fui a uma reunião com o presidente, assessores de comunicação e os filhos no palácio e eles disseram que eu não poderia levar o embaixador da China lá. Tive que fazer a reunião por telefone", falou.

Inscreva-se na TV 247, seja membro e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email