Flávio Bolsonaro agride mulheres em sua primeira fala na CPI da Pandemia

Senador diz que as mulheres "estão conformadas" em não participar da CPI e "acompanhar o trabalho à distância"

Flávio Bolsonaro
Flávio Bolsonaro (Foto: Beto Barata - Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) desferiu ataque contra as mulheres em sua primeira fala durante a reunião da CPI da Covid, que está sendo instaurada nesta terça-feira (27) pelo Senado. 

"Em primeiro lugar eu acho que as mulheres já foram mais respeitadas. Estão fora da CPI e não fazem nem questão de estar nela. Se conformam em acompanhar os trabalhos à distância”, afirmou o parlamentar.

Ele recebeu uma resposta da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), que chamou a fala do parlamentar de “ironia machista”. “Nós estamos aqui, vamos participar ativamente”, rebateu. “Ninguém pode questionar a nossa indignação. Que fique registrado”.

“Eu defendi a participação das mulheres, senadora”, respondeu Flávio. “Olha que coisa curiosa, eu defendi a participação das mulheres e fui acusado de ser machista”.

Em sua fala, o filho de Jair Bolsonaro também tentou fazer manobras para impedir que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) assuma a relatoria da comissão.

Ele também usou o argumento do perigo sanitário para a realização da Comissão, o que foi alvo de piada nas redes sociais, uma vez que ele está com o ombro deslocado por estar fazendo turismo nas férias e porque seu pai debocha da pandemia e promove aglomerações diárias.

 

Assista ao vivo na TV 247: 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email