Na mira da CPI, Precisa Medicamentos ganhou R$ 9,5 mi de clínicas por vacina que não entregou

Documentos obtidos pela CPI da Covid apontam que 59 clínicas privadas pagaram um "sinal" de 10%, mas não receberam as vacinas contratadas

www.brasil247.com -
(Foto: Divulgação)


247 - A Precisa Medicamentos - investigada pela CPI da Covid por suspeitas de fraudes nos contratos para a venda de 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin ao Ministério da Saúde - arrecadou cerca de R$ 9,5 milhões por meio da intermediação da comercialização dos imunizantes junto a 59 clínicas privadas. De acordo com o jornal O Globo, documentos obtidos pela CPI apontam que as empresas pagaram um “sinal” de 10%, mas não receberam as vacinas contratadas. 

A oferta do imunizante produzido pela farmacêutica Bharat Biotech às clínicas privadas teria acontecido entre o final do ano passado e fevereiro de 2021, antes do contrato com o Ministério da Saúde. O menor preço oferecido era de US$ 32,71 para quem comprasse um volume superior a 100 mil doses, valor bem acima que os US$ 15 pagos pelo ministério. Para volumes entre 2 mil até 7,2 mil doses, o valor praticado era de US$ 40,78. Ao menos 30 empresas teriam optado por esse modelo de negócio.

Ainda conforme a reportagem, os contratos previam o pagamento antecipado de 10% e outros 20% que deveriam ser depositados em até dois dias úteis após a publicação do registro da vacina pela Anvisa. O restante deveria ser quitado no momento da importação. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os contratos também previam a a devolução do valor pago de forma antecipada, caso as vacinas não fossem entregues até 30 de abril. A Precisa, porém, teria realizado apenas três devoluções, totalizando R$ 147 mil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email