Negacionista, Nise confessa que se recusou a tomar vacina mesmo estando em grupo prioritário

A médica Nise Yamaguchi afirmou à CPI da Covid que já teve Covid-19 e que não se vacinou por ser portadora de uma doença autoimune. No entanto, a Sociedade Brasileira de Reumatologia indica que portadores da doença são do grupo prioritário para vacinação

www.brasil247.com - Nise Hitomi Yamaguchi em depoimento na CPI da Covid no Senado
Nise Hitomi Yamaguchi em depoimento na CPI da Covid no Senado (Foto: Edilson Rodrigues)


247 - A médica Nise Yamaguchi afirmou em seu depoimento à CPI da Covid que já teve Covid-19 e que, embora esteja incluída no grupo prioritário da área de saúde, não se vacinou por ser portadora da Síndrome de Raynaud, uma doença autoimune. A Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), porém, indica que tais pessoas são do grupo prioritário para imunização contra a doença. 

"Eu já tive covid e eu não posso me vacinar porque eu tenho uma doença autoimune. Existem pessoas que não podem se vacinar como aquelas que têm vasculites – é o meu caso, eu tenho Síndrome de Raynaud, outras pessoas que têm doenças maiores, hepáticas ou renais, em situações graves”, afirmou Nise nesta terça-feira (1). 

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, porém, o site da SBR destaca que ser portador de uma doença autoimunes não é um impeditivo definitivo à vacinação e que, dependendo da fase da doença, o caso deve ser discutido com um médico. 

"A Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) destaca que essas pessoas foram incluídas no grupo prioritário para vacinação contra o novo coronavírus, dentre os descritos com comorbidades. Neste grupo, estão portadores de artrite reumatoide, espondiloartrites, artrite psoriásica, lúpus, a esclerose sistêmica (esclerodermia), síndrome de Sjögren, miopatias inflamatórias e as vasculites", diz a SBR em seu site. A Síndrome de Raynaud, citada por Nise Yamaguchi, é uma vasculite.

Confira ao vivo a CPI da Covid na TV 247:

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email