Quebra de sigilo de diretora da Precisa aponta ligações com telefones de oficial da Defesa e de senador bolsonarista da CPI

Quebra do sigilo telefônico da diretora da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, revelou que ela manteve contatos telefônicos com um capitão-de-mar-e-guerra do Ministério da Defesa e com o senador Luis Carlos Heinze, que integra a CPI da Covid

www.brasil247.com - Emanuela Medrades e Luis Carlos Heinze
Emanuela Medrades e Luis Carlos Heinze (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado | Leopoldo Silva/Agência Senado)


247 - A quebra do sigilo telefônico da diretora da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, determinada pela CPI da Covid, revelou que ela manteve oito contatos telefônicos com um capitão-de-mar-e-guerra que ocupa um cargo de gerência no Ministério da Defesa e quatro ligações do senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), um dos principais defensores de Jair Bolsonaro e do uso de remédios sem comprovação científica contra o coronavírus no colegiado. As ligações foram realizadas antes do escândalo envolvendo a intermediação da compra da vacina indiana Covaxin pela Precisa.  

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, Medrades efetuou uma ligação para  o número de um celular utilizado pelo capitão da Marinha Leonardo José Trindade de Gusmão, gerente do Departamento de Promoção Comercial do Ministério da Defesa. As ligações foram feitas em 22 e 23 de julho de 2020. A secretaria teria feito prospecções por insumos como seringas, agulhas e testes, que não estão entre os produtos principais da Precisa.

“Quando as ligações foram feitas, a Precisa já estava envolvida em outra suspeita, que resultou na Operação Falso Negativo, no Distrito Federal. A operação foi deflagrada a partir de junho de 2020, após indícios de superfaturamento na aquisição de testes para detectar a Covid-19 pelo governo local”, destaca um trecho da reportagem. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A quebra do sigilo também revelou registros de quatro contatos mantidos com o celular do senador Luis Carlos Heinze, todas elas feitas em 18 de abril deste ano, cinco dias após a CPI ter sido formalmente criada. A instalação do colegiado, porém, aconteceu em 27 de abril, nove dias após as ligações para a diretora da Precisa Medicamentos. Questionado sobre o assunto, o parlamentar disse não se lembrar do acontecido. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email