Reale diz que Bolsonaro cometeu crime de responsabilidade que pode embasar processo de impeachment

O ex-ministro da Justiça Miguel Reale Jr. liderou a pedido da CPI da Covid grupo de juristas que assessora os senadores a fazerem o embasamento jurídico do relatório que será apresentado na próxima semana por Renan Calheiros

(Foto: Zeca Ribeiro/Senado | PR)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior afirmou nesta quarta-feira (15) que está claramente configurado o crime de responsabilidade de Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia de Covid- 19.

Reale coordenou um grupo de juristas que apresentou um parecer com sugestões de tipificações para os crimes que foram apurados pela CPI da Covid. 

Em reunião virtual com senadores da CPI da Covid, o jurista afirmou que o enfrentamento da pandemia evidenciou um "desrespeito afrontoso aos direitos individuais e sociais" e que isso configura um crime de responsabilidade, que poderia embasar um processo de impeachment. 

PUBLICIDADE

Além de Reale Jr., assinam o parecer a ex-juíza do TPI (Tribunal Penal Internacional) Sylvia H. Steiner, Alexandre Wunderlich e Helena Regina Lobo da Costa, que apontam também delitos de epidemia, infração de medida sanitária e charlatanismo, informa o jornalista Renato Machado na Folha de S.Paulo.

De acordo com o parecer, houve uma ação deliberada​ para não conter a pandemia, uma política de Estado de negacionismo. 

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email