Truculento, Pazuello interrompe Renan e critica as perguntas do relator na CPI

Ex-ministro da Saúde diz que senador "deveria saber" que ele não podia negociar com empresas e que iria "responder pela quinta vez" que não deixou a Pfizer sem resposta

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello em depoimento na CPI da Covid no Senado nesta quarta-feira (19)
O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello em depoimento na CPI da Covid no Senado nesta quarta-feira (19) (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o relator da CPI da Covid no Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), se estranharam na sessão desta quarta-feira (19)

Com base no depoimento do gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, que disse que a empresa fez ao menos quatro ofertas de doses de vacinas contra a Covid-19 em 2020 que não foram fechadas pelo governo federal, Renan perguntou a Pazuello se Jair Bolsonaro participou dessa decisão. 

Em tom arrogante, Pazuello negou essa versão: "Não, até porque não houve decisão de não responder a Pfizer, digo isso pela quinta vez".

Renan ainda perguntou: "Por que vossa excelência não tomou o comando e o protagonismo dessa negociação com a Pfizer?".

Respondendo, Pazuello faltou com respeito ao relator: "Pela simples razão que eu sou o dirigente máximo, o decisor, e não posso negociar com empresas. Quem negocia com empresa é o nível administrativo e não o ministro. O ministro jamais deve receber uma empresa o sr. deveria saber disso". Após comoção, o ex-ministro retirou suas palavras. 

Calheiros repetiu a pergunta alegando que o ex-chefe da Secom Fabio Wajngarten afirmou que não houve retorno do Ministério da Saúde. Pazuello voltou a dizer que as ofertas foram respondidas e disse que o relator estava tentando induzir uma resposta.

"Eu já respondi isso n vezes", disse Pazuello. "Isso já foi respondido centenas de vezes".

Na primeira resposta a Renan, Pazuello, no mesmo tom arrogante que marcou suas entrevistas no Ministério da Saúde, disse que perguntar se um general está preparado para cargos de liderança é como perguntar “se a chuva molha”.

Assista na TV 247:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email