Um ano após El Salvador adotar o bitcoin como moeda nacional, economia do país corre o risco de entrar em colapso

Queda no mercado de criptomoedas fez as reservas do governo perderem cerca de 60% do valor

Placa com bitcoin em oficina automotiva onde a criptomoeda é aceita como forma de pagamento em San Salvador, El Salvador
Placa com bitcoin em oficina automotiva onde a criptomoeda é aceita como forma de pagamento em San Salvador, El Salvador (Foto: REUTERS/Jose Cabezas)


Clique aqui para receber notícias do Brasil 247 e da TV 247 no WhatsApp

247 - Após El Salvador adotar o bitcoin como moeda nacional, há cerca de um ano, o país corre o risco de entrar em colapso em função da queda do mercado de criptomoedas.  De acordo com o The New York Times, as reservas do governo em bitcoins já perderam aproximadamente 60% do valor.

A reportagem destaca que o uso de bitcoins pela população caiu e “o país está ficando sem dinheiro vivo", após o presidente do país, Nayib Bukele, não conseguir captar novos investidores do setor. 

 “O fracasso de Bukele em seus objetivos declarados a respeito do bitcoin — de trazer investimento ao país e ajudas financeiras para os pobres — expuseram as limitações de sua governança autoritária com foco na imagem, afirmam os críticos. E também levantou dúvidas a respeito da sustentabilidade financeira de seu ambicioso plano de modernizar El Salvador em detrimento da governança democrática”, ressalta o periódico.

continua após o anúncio

No ano passado, o governo de Bukele alocou o equivalente a 15% de seu orçamento anual de investimento na tentativa de incorporar o bitcoin à economia nacional e ofereceu US$ 30, para que a população baixasse um aplicativo de pagamentos com criptomoedas apoiado pelo governo batizado de Chivo Wallet. 

Um estudo da ONG National Bureau of Economic Research, porém, apontou que apenas 10% dos usuários do Chivo continuaram a fazer transações com bitcoin por meio do aplicativo depois de gastar os US$ 30 e uma outra pesquisa, da Câmara do Comércio de El Salvador, realizada em março, afirma que "apenas 14% das empresas do país fizeram transações em bitcoins desde que a criptomoeda foi introduzida no país". 

continua após o anúncio

"As perdas estão aumentando à medida que o governo se esforça para subsidiar os custos crescentes das importações de alimentos e combustíveis e cumprir o próximo pagamento da dívida", ressalta a reportagem.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

continua após o anúncio


continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247