Adeus, petrodólares

Astros da msica, como a cantora Beyonc, que cantaram para o cl Kadafi, devolvem os milhes que receberam do ditador

247 – Muamar Kadafi é a cara do cantor Cauby Peixoto. Mas suas canções preferidas não são Conceição nem Bastidores – “cantei, cantei, até ficar com dó de mim...”. O que Kadafi realmente aprecia é a música americana, especialmente hip hop e R&B. E o ditador não mediu esforços para atrair grandes astros do pop para Tripoli. Entre os astros e estrelas que cantaram para Kadafi estão nomes como a diva Beyoncé, a cantora Mariah Carey e o cantor Lionel Ritchie. Todos receberam fortunas. Estima-se que o cachê de Beyoncé tenha sido de US$ 1 milhão, por uma única apresentação fechada para Kadafi e sua entourage.

Agora, diante da matança promovida pelo ditador na Líbia, os astros parecem envergonhados. Beyoncé afirma ter doado o milhão de dólares que recebeu para as vítimas do terremoto de 2009 no Haiti. E outros artistas prometem fazer o mesmo. Comenta-se que Beyoncé brilhava como uma pantera na apresentação que fez para Kadafi. O ditador também esteve em evidência recentemente, com a divulgação de que teria ensinado ao primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, o ritual do Bunga, Bunga – em que jovens seminuas dançam ao redor de um escolhido.

Artistas têm todo o direito de se apresentar para autoridades. O primeiro-ministro da Rússia, Dimitri Medvedev, já contratou apresentações da banda Deep Purple e da cantora Tina Turner. Marilyn Monroe cantava para o presidente americano John Fitzgerald Kennedy – e o caso foi muito além de uma audição. Só devem também estar preparados para a repercussão negativa das escolhas que fazem.

Assista a um vídeo da cantora:

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247