Ator é censurado no 52° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (vídeo)

A edição 2019 do 52° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, realizado no Cine Brasília, nesta sexta-feira (22), foi marcada por vaias ao secretário de Cultura do DF, Adão Cândido, e censura ao ator Marcelo Pelucio. Veja

www.brasil247.com - Ator Marcelo Pelucio no Festival de Brasília
Ator Marcelo Pelucio no Festival de Brasília (Foto: Reprodução YouTube)


Por Tereza Cruvinel - Mais uma vez o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro mostrou-se um dos eventos culturais mais politizados do país, reunindo sua plateia engajada e crítica, que desde a ditadura faz história. 

A abertura, nesta sexta-feira, 22, foi marcada por vaias e protestos contra o desmonte das políticas culturais, que não acontecem só no governo Bolsonaro, mas também em estados e unidades federativas governadas pela direita retrógrada, como é o caso do Distrito Federal com seu governador Ibaneis Rocha, que vem descumprindo as leis que regem políticas culturais, como o FIC e o FAC, fundos de apoio à cultura e ao cinema, respectivamente.

O Secretário de Cultura, Adão Cândido, discursou sob uma prolongada vaia e gritos e “Fora Adão”. Mas ele falou e protestou, embora não tenha sido ouvido. O protesto foi resultado de sua gestão, em que um edital do FAC, no valor de R$ 25 milhões, foi cancelado pela secretaria.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A coisa esquentou quando o ator Marcelo Pelucio tomou o microfone, após a apresentação da equipe da produtora Gullane, co-produtora do filme de abertura hors-concours, O Traidor, e leu um manifesto do Movimento Cultural do Distrito Federal, protestando contra o desmonte das políticas locais e nacionais. Um segurança tentou tomar-lhe o microfone e em seguida cortaram o som. Mais vaias e gritos de “censura” na mais ampla sala de cinema do país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vieram algumas homenagens com certo viés PPS, partido que se rebatizou de Cidadania. São a ele ligados o secretário Adão, bem como o ator Stepan Nercessian, embora ele mereça, pelo conjunto da obra, a reverência recebida. Foram ainda homenageados Fernando Adolfo, um dos criadores do festival e o maestro Claudio Santoro (in memorian).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Também foi homenageada a antropóloga e documentarista Debora Diniz, que se exilou ano passado depois de receber ameaças de morte por conta de seu documentário sobre o aborto. Ausente, ela mandou um vídeo tocante agradecendo a homenagem da Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo. Um minuto de silêncio foi feito em sinal de luto pela morte do cineasta Fabio Barreto.

A atriz Maria Paulo, que apresentou o evento, perdeu muitas vezes o controle da plateia, que finalmente pode assistir a O Traidor, de Marco Bellocchio, uma coprodução entre Brasil, Itália, França e Alemanha. Um filmaço sobre a Operação Mãos Limpas e o mafioso Tomaso Bucceta, preso no Brasil e deportado para a Itália. Mãos Limpas foi a inspiração de Sergio Moro mas o filme mostra que ele não pode, de modo algum, ser comparado ao juiz Giovani Falcone.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assista ao vídeo:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email