Chico Júnior: comida é política, economia, sociologia e cultura

O jornalista e escritor Chico Júnior, que tem obras publicadas sobre gastronomia, explica a relação da comida com a política, comenta a tendência mundial de se cozinhar em casa e de forma mais saudável e critica o uso exacerbado de agrotóxicos no país; "O que acontece no Brasil é um crime porque o governo libera agrotóxico a torto e a direito", afirmou; assista

Chico Júnior: comida é política, economia, sociologia e cultura
Chico Júnior: comida é política, economia, sociologia e cultura
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista e escritor Chico Júnior, que tem obras publicadas sobre gastronomia, conversou com a TV 247 sobre a ligação entre comida e política. Ele ainda comentou assuntos como programas culinários de TV, gastronomia brasileira, e condenou o uso de agrotóxicos nas plantações brasileiras. Ele ressaltou que comida não é apenas sabor, ela engloba diversas áreas, inclusive política e políticas públicas.

"Comida é política sempre, é política, economia, sociologia, é cultura e, dependendo da forma como você trata a produção gastronômica, isso envolve fundamentalmente política e políticas. Por exemplo, você tem que ter um país que tenha uma política pró-agricultura familiar. O Brasil tem o Pronaf, isso é política pública, investimento na agricultura familiar é política pública. Esse é só um exemplo para mostrar o seguinte: quando a gente fala em comida a gente está falando de um monte de coisa, não só de sabor, não só de alimentação, não só de sobrevivência, mas a gente sempre fala de política de economia, de sociologia, de psicologia e de cultura".

O jornalista afirmou que a culinária do Brasil é bem tratada por aqueles que têm carinho na sua produção e elaboração. "Nós temos grandes exemplo no Brasil, do Oiapoque ao Chui, de pessoas que cuidam com seriedade da produção gastronômica brasileira, que cuidam com seriedade das raízes gastronômicas brasileiras, você tem exemplo no Pará, você tem exemplos nos Rio Grande do Sul, você tem exemplo espalhados no Brasil inteiro de pessoas que levam a sério a produção culinária e gastronômica, ou seja, são pessoas que cuidam da produção, que têm carinho com a produção e são pessoas que têm carinho na elaboração dessa produção para finalmente transformar essa produção em algo comestível. Eu acho que tem gente muito boa tratando com carinho a questão da produção gastronômica e culinária, fazer comida boa a partir de insumos bons, naturais e saudáveis, isso a gente tem no país".

Sobre a diferença da gastronomia brasileira em relação às demais, o escritor avalia que isso é fruto da cultura e classificou a cozinha do Brasil como uma das dez principais do mundo. "Cultura, fundamentalmente cultura. A comida é cultura, o resultado culinário é o resultado de várias culturas atuando em determinados países, você tem sabores diferentes mas você tem culturas diferentes. A gente tem que levar em consideração que quando a gente fala de comida a gente não está falando de sabor especificamente, a gente está falando de cultura, a gente está falando de etnias, de migrações, invasões. Então a comida brasileira difere das comidas de outros países em função exatamente da questão cultural. Você tem a comida siciliana você tem uma cultura, por exemplo, árabe, você tem na comida espanhola a cultura árabe também, na comida brasileira você tem a comida portuguesa, você tem a cultura italiana, você tem a cultura indígena, africana, então nós diferimos no sabor, mas, em qualidade, a comida brasileira é de primeiro mundo, eu considero inclusive uma das dez principais culinárias mundiais".

Chico Júnior ainda comentou sobre os programas culinários de TV que têm surgido nas grades de grandes emissoras. Para ele, são programas úteis porque despertam nas pessoas interesses pela gastronomia. "Por princípio eu acho legais esses programas de culinária, alguns são muito práticos, outros viraram show. Os práticos ajudam bastante as pessoas a aprenderem a culinária e irem para a cozinha, os que viraram show são show, são interessantes, mas são shows. Eu acho que se pegar os programas com um todo o resultado é muito bom, o resultado é que faz as pessoas ficarem curiosas para chegarem perto da cozinha e fazem as pessoas começarem a aprender a gostar de cozinhar, e eu acho que esses programas têm servido para mostrar que a culinária não é bicho papão, não é uma coisa muito complicada, é fácil, é muito fácil você aprender o 'beabá' e você desenvolver seus pratos iniciais. Eu acho que as pessoas têm que tomar coragem e irem para a cozinha para se desenvolver e curtir com sua família e amigos, eu acho que no fundo os programas são bem legais, úteis".

O jornalista também opinou sobre os alimentos processados e ultraprocessados e afirmou que este tipo de comida é perigoso porque não é possível controlar os níveis de açúcar, sal e químicas que estão sendo ingeridos. "O Brasil é um celeiro de alimentos, é o quinto maior produtor de alimento do mundo, é um dos três grandes exportadores de alimento do mundo, então você tem uma matéria-prima, você tem insumos a sua disposição para deitar e rolar. Então, além de ser mais saudável fazer comida em casa, é muito mais barato do que você comer comida processada e ultraprocessada, está distante da comida de verdade. Comida de verdade é aquela que você compra o insumo, desenvolve o teu projeto culinário e faz sua comida, isso é comida de verdade. Quando você cai no alimento processado você não controla açúcar, sal, você está ingerindo química, você está ingerindo agrotóxico e quando você faz a comida em casa você pode usar insumos agroecológicos, mesmo pagando um pouquinho mais vai sair mais barato do que se você comer comida processada e ultraprocessada".

Outro vilão muito presente na mesa dos brasileiros são os agrotóxicos, alertou. Chico Júnior afirmou que o uso indiscriminado destas substâncias nas produções do Brasil é um crime. "Está mais do que provado e pesquisado o mal que o agrotóxico faz no nosso corpo e organismo, provoca doenças pulmonares, doenças respiratórias, provoca câncer, provoca doenças no fígado, então eu acho o seguinte: quanto mais você puder consumir produtos agroecológicos e orgânicos melhor para a saúde. O que acontece no Brasil é um crime porque o governo libera agrotóxico a torto e a direito, o Brasil hoje é um dos países que mais usa agrotóxicos no mundo e obviamente isso não é legal, não faz bem para a gente e o governo Bolsonaro está jogando muito pesado. Hoje você já tem no Brasil centenas ou milhares de agrotóxicos sendo utilizados de maneira indiscriminada".

Inscreva -se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247