Deputados protocolam requerimento para que Ernesto Araújo esclareça censura ao filme sobre Chico Buarque

Deputados Henrique Fontana (PT-RS) e Paulo Teixeira (PT-SP) pedem que ministro preste esclarecimentos sobre censura imposta ao filme sobre vida e obra de Chico Buarque, no festival de cinema no Uruguai

Chico Buarque e Ernesto Araújo
Chico Buarque e Ernesto Araújo
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os deputados Henrique Fontana (PT-RS) e Paulo Teixeira (PT-SP) protocolaram nesta terça-feira (17), na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (Credn), da Câmara dos Deputados, requerimento em que pedem a convocação do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para que preste esclarecimentos sobre a censura imposta ao filme sobre a vida e a obra do cantor e compositor Chico Buarque, no festival de cinema no Uruguai, informa o PT na Câmara.

“A censura é inaceitável em qualquer circunstância, em qualquer tempo histórico e praticada por qualquer pessoa. Os atos de censura têm se multiplicado em diversas ações do governo Bolsonaro, em diversos cantos do País e também no exterior”, afirmou o deputado Henrique Fontana.

Segundo reportagem da Revista Veja, a organização do 8º Festival de Cinema do Brasil diz ter recebido instrução da Embaixada do Brasil no Uruguai para não exibir o documentário Chico: Artista Brasileiro.

Na justificativa do requerimento os deputados afirmam que a “tentativa de interferência da Embaixada do Brasil no Uruguai, provavelmente por determinação ideológica do Ministério das Relações Exteriores, configura verdadeira censura prévia, expressamente vedada no texto constitucional e representa grave retrocesso democrático, que deve ser repudiado pelo Parlamento nacional, exigindo, destarte, que os responsáveis venham prestar esclarecimentos nessa Câmara dos Deputados”.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247