Ecad: MP do Turismo trará prejuízo de R$ 110 milhões a artistas

A superintendente do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), Isabel Amorim, estima que a Medida Provisória apelidada de “A Hora do Turismo”, que isenta os hotéis do pagamento de direitos autorais por músicas executadas em quartos de estabelecimentos, pode tirar da classe artística R$ 110 milhões por ano

Isabel Amorim
Isabel Amorim (Foto: Dasha Horita/Divulgação)

247 - A superintendente do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), Isabel Amorim, afirmou que as ações do governo federal para estimular o turismo e a economia são bem vindas, mas não podem ser feitas "à custa dos artistas". A Medida Provisória apelidada de “A Hora do Turismo” isenta os hotéis do pagamento de direitos autorais por músicas executadas em quartos de estabelecimentos, o que pode tirar da classe artística R$ 110 milhões por ano.  

"Apoiamos reformas que beneficiem o desenvolvimento do turismo e a economia do País, mas não é necessário que isso seja feito à custa dos artistas”, afirmou Amorim, antecipando que a expectativa é a de que “a medida não seja assinada pelo presidente da República", disse. A entrevista foi concedida ao jornal O Estado de S.Paulo

De acordo com a dirigente, "esta proposta de isenção (de cobrança nos quartos de hotéis) é temerária e prejudicial para toda a classe artística". "A música disponibilizada nos quartos, seja na programação musical de rádio ou televisiva, é um atributo importante para o maior conforto dos clientes, agregando valor ao negócio".



Ao vivo na TV 247 Youtube 247